quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Pedido de Direito de resposta ao Jornal da Cidade/Bauru

18/11/2010

Para: cartas-Jornal da Cidade de Bauru
Sequencia de 3 textos, 2 meus e um de um estudante da Une




Senhores editores do Jornal da Cidade / Baurú

Como os Srs. permitiram que esse estudante da Une , de nome Roberto Domingos se referisse a mim por "Mara" entre aspas, quando eu assino meus textos declinando meu nome por inteiro, com número de RG, endereço e telefone? Por estarem cientes disso os senhores, no mínimo, deveriam ter editado o texto, como se costuma fazer em muitos jornais...Sabe o que ficou parecendo a todos os leitores? Que "eu" uso de codinome ao escrever meus textos, que "eu" uso este espaço para expor o que penso mas à mando e à soldo de alguem, falseando a minha identidade. Que o estudante Roberto Domingos é um exemplo de cidadão, e eu não.

Muito bem, quando "Roberto" diz que a UNE concordou com a derrubada da liminar, nada me espanta...a UNE hoje jamais acrescentaria dificuldades ao MEC , mais do que ele proprio criou , capitaneado pelo Ministro trapalhão Fernando Haddad. A UNE hoje está para colaborar com o governo do PT, não para reivindicar direitos dos estudantes.
Graças à Deus e para justiça de todos os estudantes...a juíza do Ceará ontem determinou que todos os estudantes - e não só os portadores da folha amarela - que se sintam prejudicados pelas trapalhadas no exame do Enem entrem com requerimento , para que um novo exame lhe seja garantido.

Diferente do que "Roberto" diz, eu não faço apologia da arruaça pura e simples. Faço apologia da legítima manifestação do povo pelos seus direitos. A UNE sempre usou das manifestações populares para perseguir seus projetos. Só hoje é que está subserviente ao governo, preferindo agir atraves de canais bem mais burocráticos como um telefone ou email. Quem mudou foi a UNE e não eu, que vivi o ambiente universitário de 64 dentro da universidade como estudante .
A UNE hoje comprovadamente recebe verbas do governo federal, mas hoje...não no passado, quando seus membros agiam mais por impulso idealista e livremente.

De qualquer forma, eu creio merecer mais respeito por parte deste estudante e também por parte do jornal, por ser sua leitora, por não fazer molecagem quando escrevo, honrando meus 65 anos, e por não me vender para governo nem para político ou partido algum. Faço o que acredito ser um exercício de cidadania num trabalho voluntário mas exaustivo, porque de lentos resultados e à custo zero. Formar opinião neste país é malhar em ferro frio.
Será que merecerei uma resposta dos senhores editores do jornal? Me sentirei plenamente justiçada se me derem o direito de resposta atraves desta carta. Eu fui "sutilmente" insultada, bem ao estilo da militância...quero responder escancaradamente, bem ao meu estilo.

Mara Montezuma Assaf


JORNAL DA CIDADE DE BAURU - SP



18/11/2010
ENEM 2010 e a UNE - União Nacional dos Estudantes
Foi publicada semana passa nesta coluna uma carta chamada “Cadê a UNE”, onde a autora, identificada como “Mara Montezuma Assaf”, questiona qual a posição da UNE em relação aos problemas enfrentados por alguns estudantes na realização do Enem 2010.
Primeiramente, é importante dizer que a UNE e a Ubes concordaram com a decisão do Tribunal Regional Federal da 5.ª Região de derrubar a liminar que suspendia o Enem. Para as entidades, a anulação da prova iria prejudicar milhões de estudantes que a realizaram em condições adequadas. A proposta da UNE e da Ubes, que foi levada ao ministro da Educação, Fernando Haddad, em reunião realizada quinta-feira (11/11), em Brasília, é a de que seja feito um novo Enem opcional para que nenhum estudante seja prejudicado. Uma nova reunião deve ser agendada para esta semana com o objetivo de discutir quais os critérios que serão usados para avaliar se um estudante vai ou não refazer a prova.
A UNE e a Ubes, juntas, ainda criaram uma central de atendimento na semana passada, que atendeu até sexta-feira, dia 12/11, ao total de 1.519 reclamações sobre o Exame. As reclamações foram originadas de todo o Brasil.
Se você, “Mara”, ou qualquer outro estudante se sentiu prejudicado pelos erros no Enem, procure a Central de atendimento da UNE e da Ubes para fazer suas reclamações e denúncias. Tudo pode ser feito pelo email enem2010@une.org.br ou pelo telefone (11) 2771-0792, das 9h às 17h.
Diferente do pensamento que você expressa em sua carta, “Mara”, penso que as entidades estudantis devem agir com respeito aos estudantes e as instituições, vejo que as ações promovidas pelas entidades mostram isso de forma clara. Não basta sair para as ruas aos berros, fazendo cenário para a grande imprensa nacional, como alguns querem. É preciso discutir, conversar e buscar a melhor forma de resolver qualquer problema.
Roberto Domingos - estudante de Relações Internacionais - Iesb-Bauru



Cadê a Une?
Assisti ontem o movimento estudantil na Inglaterra se manifestar furiosamente em Londres contra o aumento de mensalidades nas universidades. Já aqui, me pergunto para que serve a União Nacional dos Estudantes, se na hora mais premente em que os estudantes são atropelados pela inépcia do INEP e do MEC em realizar uma prova, eles se enfurnam em sua toca, cegos, mudos e surdos ao problema? Será que as verbas com as quais foram amaciados pelo governo Lula acabou por esgotar até a última gota o escopo desta agremiação? São estudantes "profissionais" que a ocuparam? A sigla hoje designaria muito bem uma União Nacional dos Estupidificados... Se o dinheiro e a ideologia os abestalharam de vez, a UNE deixou de ter função, e o que é dispensável...naturalmente vai para o lixo, para ser reciclado ou rejeitado de vez e incinerado. Os estudantes esbulhados pelo MEC/ENEM agradecem.
Mara Montezuma Assaf
Postar um comentário