quarta-feira, 30 de junho de 2010

DUNGA FOI VENDIDO?

Calma, Sr. Verri!

Não se deixe levar apenas pelo título, que parece, mas não é...
Leia o artigo inteiramente, senão estou “ferrado”.
Tem muita gente lendo o Goebbels, grande filósofo da “democracia” ariana alemã.
Mais uma dessas mentiras que correm pela Internet!
Voltou a circular aquela notícia que garantia que a seleção do braziu varemnós vendeu o resultado em 1998, quando perdemos a final da Copa para a França.
Caracas!
Ato falho!
È que jogamos um futebolzinho venezuelano naquela Copa, apesar do vice-campeonato.
Perdemos da Noruega! Lembram-se?
Tudo armação!
A síndrome de cachorro vira-lata tem sempre uma desculpa para a derrota.
Em 1950, a mais preconceituosa: os uruguaios só ganharam porque nosso goleiro era negro. E Obdulio, El Jefe Negro, era o que?. Em 1954, os húngaros foram beneficiados pois o juiz deve ter roubado ao marcar um pênalti e expulsar dois jogadores. Em 1966, qual foi a desculpa mesmo? O Juiz de novo? Em 1974, a Yolanda teve sorte , pois nossos jogadores tiveram labirintite quando entraram no carrossel. A Argentina comprou o time peruano em 1978. Em 1982, faltou garra ao maravilhoso time. A trave francesa encolheu nos pênaltis em 1986 e o Alemão não fez falta no Maradona em 1990, porque eram amigos no Napoli. Ah! Em 2006, a culpa foi do Roberto Carlos que estaria ajeitando a meia-calça por exigência do patrocinador, quando a França (olha ela aí de novo) fez o gol em seu freguês.
A desculpa de 1998 é de doer.
É caluniar a honra e desmerecer o atleta brasileiro e a capacidade do futebol francês.
Que atleta se venderia quando pode entrar para história?
Isso não tem preço.
Tenho certeza que o Sr. Verri, Edmundo “Animal” ou Júnior Baiano, entre outros, dariam uma porrada na cara de quem lhe fizesse uma proposta dessas.
Sabem o que essa história parece?
Uma daquelas milhares de histórias que aparece de tempos em tempos na Internet e que a gente costumava fazer em Primeiro de Abril.
Eu a escreveria da seguinte maneira:
“A seleção brazileira vendeu a derrota em 1998. As negociações foram feitas por Dorinha, aquela menina desaparecida num ano desses, que tinha uma grave doença, depois de ter sido encontrada numa banheira gelada de um motel, sem um rim. Ela bem que tentou ligar para o 156, para avisar que se atrasaria pois estava presa em um congestionamento e não conseguiria escapar do Rodízio. Entretanto, como colocaram uma bolinha de tênis no seu escapamento, quando ela se abaixou para apanhar o celular que tinha deixado no porta-luvas, viu que estava no drive-thru do Mc Donalds onde tinha sido picada por uma cobra, na infância, quando brincava na piscina de bolinhas, cuja cura foi obtida tomando leite repasteurizado oito vezes, de acordo com os números da caixinha Tetra Pack. Assim, Dorinha não pode comparecer a reunião do G-8 das quartas de final, pois também percebeu que havia morrido ao ingerir camarão chinês com vitamina C paraguaia. Representou-a, então, a princesa russa Anastásia que com seus 108 anos de idade foi vista saindo furtivamente da reunião”.
Tenham a santa paciência!
Eu sei que esse país não é sério!
Desincorpora, De Gaulle.
Também não foi você quem disse isso?
Ah! Mas era francês... Então está tudo certo!...
Postar um comentário