terça-feira, 28 de abril de 2009

Mais do mesmo

De repente parece que toda a sujeira parlamentar resolveu vir à tona ao mesmo tempo. Foi bom, pois só agora nos deram elementos suficientes entendermos o gigantesco corporativismo vigente dentro do Congresso à época do escândalo do mensalão, onde acabou "um por todos e todos por um". Se todos os parlamentares estavam (como ainda estão) usufruindo das mordomias, como esperar que algum deles tivesse moral ou vontade suficientes para condenar quem quer que fôsse ? O PT, sob a regência de Lula, orquestrava a corrupção do momento, mas todos os parlamentares - de todos os partidos - tocavam a mesma música, afinadíssimos.
Deu no que deu: salvaram-se todos.

Hoje minha percepção é diferente: já sabendo que não há inocentes, por mim não se salva ninguém.
E talvez esse seja , justamente, o mecanismo que os parlamentares usarão para sairem ilesos uma vez mais: farão um mea culpa geral mas como o pêso da pena será compartilhado entre muitos, não sobrará quase nada para ninguém! De novo, anistia geral!
Postar um comentário