quinta-feira, 12 de março de 2009

"frei betto" entra em 2010 soltando bafio de enxofre

Neil vade retro satã Ferreira.

Carnaval Vernelho do MST no Pontal do Paranapanema. Via Campesina linha Butiques quebra propriedades e invade a mídia. PIB quase abaixo de zero. Empregados do encenado ganham hora extra por não fazerem nada. Renan avacalheiros tange sua tropa de choque do baixíssimo clero para começões importantes. Kit de horrores que poderia disfarçar a presença do “frei” betto nos jornais. Não pode, o “frei” sibilou a palavra de ordem para a ação da igreja para 2010. É a guerra.
“frei” betto é o demônio lullista de porta de Igreja, que habita aquele nirvana da corrupa beatificada. Santa marilena chauí orou: “Nos tempos neoliberais, a corrupa ia toda para os bolsos da zelite; agora é virtuosa, inclui os excluídos”. Estimada em 30% do PIB, uns 500 bilhões de reais por ano, a corrupa não engordaas contas bancárias da ex-querda no poder, acredite se quiser. Eu sei pela mídia não amansada que o comissário zé dirceu só viaja de jatinho fretado, bebe vinho “Romanée Conti” de 7 mil reais a garrafa e fumega legítimos cubanos “Cohiba” de 30 dólares cada, não creio que semelhante santarrão, com voto de humildade e pobreza, meta a mão na massa e depois meta a massa nos bolsos.
Desde os idos dos anos 70, “frei” betto era o leva-e-traz do bispo de Ribeirão Preto para lulla, o novo Messias do ABC (sempre Ribeirão Preto, hoje é a famiglia paloffi). Sem duda mendonça por perto, tosco, cabelos desgrenhados, barba hirsuta, camiseta encardida com os dizeres “Hoji num tô bão”. Nem hoje nem nunca tava bão.
Precisava fingir de brabo para assustar os “liderados”, sua massa de manobras para impedir o trabalho numa fábrica aqui ou depredar outra ali. É Ph.D em não trabalhar e em forçar a não trabalhar quem tem emprego e necessidade.
Foi de cima do caminhãozinho nos portões das fábricas e do saber de como obrigar a peãosada a obedecer cegamente que se elegeu e reelegeu presiMente, posição em que cultiva sua insopitável vocação de nunca fazer nada -- não fez nada a vida inteira e não faz nada há 6 anos, o que não atrapalha o livre desenvolvimento de formidanda máquina de corrupa, como “nunca antes se viu nessshte paíz...”
Defenestrado de cargo altíssimo mas sem poder de caneta, o que o enfraqueceu junto à cumpanherada que vive atrás das boquinhas, mas encostado na zôreia do Guia Iluminado, o chifrudo (“frei” betto, não o notório e manso encenador aquele, não confudir diferentes chifres, please), manteve-se por um tempo de boca chiusa, agora abriu-a por completo e expeliu seu bafio de enxofre.
Como autoproclamado coautor do “Fome Zero”, (manchetes de jornais, minutos incontáveis na Globo, um plano de marketing e de propaganda), viu a bexiga esvaziar-se do vento do papo furado e dar lugar ao “Bolsa-Esmola”, que o demo acusa com todas as letras “Trocaram um projeto de nação, o Fome Zero, por um projeto de poder, o Bolsa Família, para se garantirem de uma fonte de votos”.
Dessa vez, finalmente, vimos o rabo balançar o cachorro, é ou não é ? Não é. O canhoto jogou a fumaça negra do fundo dos infernos nos olhos dos inocentes pois no mesmo fôlego emendou “Caso mude o governo – queira Deus que não ! -- essa política pública vai acabar e as famílias retornarão à miséria”.
Não sendo a Mentira pecado capital (como a Ira, Gula, Inveja, Orgulho, Avareza, Preguiça e Luxúria), o barzebu de batinas soltou a palavra de ordem e daqui a pouco veremos padres e freiras abrindo suas torneirinhas de falsidades, jorrando sermões e catando abaixo-assinados porque “a oposição é contra os pobres e vai acabar com a bolsa-esmola”.
A cumpanheira recauchutada dirma, a boa assaltante, será beatificada e o arrenegado papa-hóstias pode sair rosnando que de lulla é “amigo, admirador, eleitor, cumpanhero e, sobretudo, irmão, com quem se briga, se discorda, mas há laços mais profundos que nos unem”.
SATANÁS E LULLA, IRMÃOS DE SANGUE.
Postar um comentário