sexta-feira, 29 de junho de 2012

+15 d'opegapulhas

1-Padrão mundial (editado no Estadão.com em 24/04/2012) Se for verdade que a luta deste govêrno contra a corrupção está estabelecendo um padrão mundial, com uma penca de senadores supostamente envolvidos com a contravenção - fora deputados, funcionários, servidores, autoridades policiais e judiciárias, teúdas e manteúdas - acho que 21/12/2012 está um pouco longe. O Brasil já está acabando e os maias nem se deram conta. Flavio Marcus Juliano 2-Construtora Delta (editado no Estadão.com em 25/04/2012) De que adianta dar 16% de desconto - o dobro das empreiteiras concorrentes - e depois obter aditivos de 60% nos contratos? Desde 2004 - sempre um ano sugestivo - a empreiteira obteve 52 contratos sem licitação e nenhuma providência digna em contrário. A corrupção "delta e rola" nas tôrres gêmeas da podridão. Flavio Marcus Juliano 3-Desrespeito à democracia (editado no Estadão.com em 27/04/2012) Apesar da bancada do PSDB ter votado contra a cessão de valioso terreno para o Instituto Lula - ou Memorial da Droga- vergonhosamente, o pré-candidato do partido à Prefeitura de São Paulo, José Serra, disse que "não vê nada de mais" na concessão do mesmo para essa imbecilidade. Apenas porque a proposta foi encaminhada pelo prefeito Kassab (PSD) , de quem depende do apoio, esquece-se que isso é um desrespeito aos seus eleitores e uma afronta à cidade, que não se presta ao culto e veneração de nulidades . É bom rever seus conceitos em tempo hábil e tentar convencer os 41 irresponsáveis vereadores que votaram a favor a criar vergonha na cara. Flavio Marcus Juliano 4-Descollorido (editado no Estadão.com em 28/04/2012) A figura de Collor no Senado é tão anacrônica e fora de contexto que já deveria ter sido "rabiscado" da política, não só pela sua pífia e meteórica passagem posando de presidente, como pelo nada que representa em têrmos de contribuição construtiva para melhorar o ambiente político do país. Aliando-se,matreiramente, ao que de pior existe em matéria de quadros petistas, só nos resta esperar que a imprensa séria continue a apontar a podridão reinante no Congresso e no govêrno. Flavio Marcus Juliano 5-Caixinha, obrigado! A "caixinha" está enraizada na vida do brasileiro. Tudo aqui funciona com e por ela. O frentista do posto, o manobrista do teatro, o carregador no hotel, o garçon do boteco, o entregador de pizza, o fiscal, o imbecil que "aluga" a vaga na via pública, o segurança da boate, o empacotador do supermercado, até o Congresso. Aliados, colaboradores e oposicionistas do governo aceitam, impunes, a corrupção, o subôrno, a propina, o mensalão, a apropriação do dinheiro público, as falcatruas, o superfaturamento como fatos comuns do dia-a-dia.E, segundo "pesquisas", mais da metade dos eleitores aprovam o que está aí. Faz sentido. O atual govêrno é a cara do brasileiro. Flavio Marcus Juliano 6-A era da certeza No excelente livro "A era da incerteza" (J.K.Galbraith/ 1977) deparamos com a incrível semelhança entre a côrte francesa no século XVIII e os vergonhosos fatos envolvendo senadores, governadores e outros políticos brasileiros: "Pessoas que gozam de privilégios preferem sempre arriscar-se à total destruição, em vez de submeter-se a qualquer redução de suas vantagens materiais. Os privilegiados acham que seus privilégios, não importando quão ostensivos possam parecer aos outros, constituem direitos solenes, fundamentais, que lhes cabem por obra de Deus. Quando a reforma a partir de cima torna-se impraticável, a revolução a partir de baixo torna-se inevitável." E, mesmo assim, o eleitor, alienado como um ruminante no pasto, permite a continuidade da podridão. Flavio Marcus Juliano 7-A chapa, a chipa e a chelpa Haddad e Erundina para a vice. Conseguiram juntar o ruim com o péssimo. Como chipa é uma rosquinha de milho que se distribui por ocasião de velórios, pode-se antever que essa chapa não sobreviverá nas urnas paulistanas. Ainda mais sendo apoiada por quem só fareja chelpa pela frente e está naquela famosa lista. Flavio Marcus Juliano 8-Se........ Se, democràticamente, qualquer cantor medíocre ou mesmo um acusado de falsidade ideológica ou ainda um com péssima performance à frente de um ministério podem se candidatar ao cargo de prefeito. Se procurados pela Interpol podem sugerir vice-prefeitos. Se comediantes, jogadores de futebol e dançarinas podem ser vereadores e deputados. Se anti-éticos, desonestos, acobertadores de criminosos podem ser governadores e senadores. Se contraventores influenciam decisões nos escalões dos Três Poderes, corrompendo, subornando e superfaturando obras. Se bandalheiras como a Bancoop e o mensalão levam uma eternidade para serem apenadas. O que sobra, democràticamente, para pessoas honestas, preparadas, experientes e com comprovada competência terem uma chance de sobrevivência na suja política brasileira? Flavio Marcus Juliano 9-Um drinque antes, um cigarro depois Como será a reunião dos tres poderosos participantes do Mercosul que meterão o bedelho nos assuntos internos paraguaios? Ao som ambiente de uma milonga argentina? Aos goles de uma aguardente pernambucana? Ou com umas baforadas da melhor maconha uruguaia? Flavio Marcus Juliano 10-Quer que desenhe? Há no Brasil uma expressiva parcela da população que ainda acredita em certos partidos, seus integrantes e, vergonhosamente, nos seus líderes. Seguidos comentários, incluindo de causídicos defensores, sugerem que os escândalos da Bancoop, mensalão e aloprados não deveriam nem poderiam ser objeto de procedimentos judiciais em anos de eleição. Ou seja, um em cada dois anos, neste país, a Justiça ficaria convenientemente cega aos atos criminosos. E pensar que o projeto de poder da quadrilha seja de muitos e muitos anos......... Flavio Marcus Juliano 11-O petróleo era "noço" (editado no Estadão.com em 28/06/2012) O ilusionismo e a mistificação populista dos oito anos de Lula, misturando objetivos ideológicos, partidários, pessoais e economicos, deixou a Petrobrás sem graça nenhuma, apesar da verdadeira palhaçada que uma administração incompetente pôde produzir. Flavio Marcus Juliano 12-Incoerência Se, como afirmou o prefeito de São Paulo, os ambulantes atingidos pela proibição trabalham com carga roubada e produto pirata, não faz sentido o TJ-SP manter nas ruas uma atividade informal e ilegal. Além de não gerar impostos , os camelôs sujam as ruas, usam a Zona Azul gratuitamente e atravancam as calçadas dos imóveis que pagam a conservação das mesmas através do IPTU. Flavio Marcus Juliano 13-Canoa furada Interessante. Nadia Campeão ser vice de um campeão de nada............ Flavio Marcus Juliano 14-A voz do além (editado no Estadão.com em 29/06/2012) As emissoras de rádio continuarão obrigadas a apresentar a vetusta, inútil e chatíssima "1 hora de audiência zero" no mesmo horário das 19 horas. Como os feitos do govêrno federal e do Congresso não são portadores de alguma forma de interesse, seria oportuna (ou tardia) a abolição desta escravatura. Flavio Marcus Juliano 15-Graves decisões A decisão do TSE, aceitando o singelo pedido petista de liberar elementos com contas rejeitadas para candidatura nas eleições municipais deste ano - os "contas-sujas"- prova realmente que vivemos numa anarquia. Sòmente 21 mil candidatos serão ajudados com essa sórdida decisão, o que sugere perguntar se e quantos "contas-limpas" sobraram. Flavio Marcus Juliano
Postar um comentário