terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

CÍRCULO VICIOSO

(No Estadão impresso, terça-feira, 21.02.2012)
Altamente preocupante a manchete Infraestrutura precária eleva custo logístico em R$ 17 bi para indústria (20/2, B1). O brasileiro paga impostos dos mais altos do mundo, quase 38% do PIB, e muito desse dinheiro se perde pela ineficiência e corrupção dos órgãos públicos supostamente responsáveis por sua aplicação. Assim, pouco sobra para investimento em estradas, portos, ferrovias, hidrovias, etc., ficando o transporte e escoamento da produção nacional em estado progressivamente lastimável de abandono. Nesse conjunto, só as estradas privatizadas se salvam. Assim o Brasil perde em todos os sentidos. Os que trabalham e produzem são sobrecarregados por alta carga tributária. Nossos produtos ficam mais caros e não conseguem competir com os importados. As indústrias brasileiras se encolhem ou vão à falência, reduzindo empregos. E o governo, para atender à massa crescente de desempregados da indústria, terá de aumentar impostos e reforçar os programas sociais. Ou seja, estamos enfrentando um círculo vicioso dos mais sérios, que só poderá ser rompido se houver mais honestidade, eficiência e bom gerenciamento do dinheiro público. A corrupção, o corporativismo, o nepotismo e o apadrinhamento políticos são como as saúvas da história: ou acabamos com elas ou elas acabarão com o Brasil. Algo terá de ser feito, o Brasil em que viverão nossos filhos e netos não pode esperar!
Silvano Corrêa
Postar um comentário