domingo, 8 de janeiro de 2012

O Coelho Verbalonga

Bezerra que privilegia seu curral, destinando 90% da verba das enchentes aos coelhos verbalonga- filho e tio do filho-, é burro, na melhor das hipóteses. Como um abutre, disponibiliza verbas paquidérmicas achando que nunca vai dar bode e que as têtas dos camelos que pagam impostos, são infinitas. Macacos me mordam se, com tanto cabra da peste, exista um pingo de honestidade na política deste país, governado por bichos preguiça ,espertos como raposas e ladinos como hienas. Pombas, está na hora de faxinar a Arca de Noé, pois as ovelhas, eleitoras anencéfalas, estão sendo enganadas diàriamente!

Flavio Marcus Juliano
Postar um comentário