sexta-feira, 18 de novembro de 2011

A semana d'opegapulhas

1-Caprichando na pontaria
Se cada brasileiro marchasse para Brasília para "lapidar o Satã" , atirando 21 pedras naquelas duas bacias brancas, a Vale teria que colaborar, arrumando muitas, mas muitas pedras para contentar todo mundo.

Flavio Marcus Juliano

2-Um SUSto ou um SUSpiro?
Não seria maravilhoso para quem está passando por esse terrível momento? Diagnosticado um câncer no sábado e começar o tratamento na segunda. Este é o modelo de Saude que queremos para os brasileiros.

Flavio Marcus Juliano

3-A volta por cima
Infelizmente, a utilíssima ferramenta de comunicação e liberdade de expressão que é a internet, se presta também ao acesso de elementos que não sabem o mínimo da língua portuguesa e, covardemente, se escondem atrás de nomes falsos, codinomes, para externar suas baixezas. Sobre qualquer assunto, agridem e ofendem qualquer pessoa. Creio que o "recalque" a que FHC se referiu, foi mais um êrro de interpretação ou um falso moralismo do que uma demonstração de mesquinhez do povo brasileiro. Não se viu isso nos casos de Mario Covas, José Alencar e de Dilma, não seria diferente agora. A repercussão não se deveu ao tratamento, rapidez, qualidade do hospital e atenção médica dedicados a um privilegiado, mas se deveu a tudo isso que é inacessível ao grande público. Para quem declarou, falsamente, que a saude publica brasileira "não está longe de atingir a perfeição", que "será que FHC ou qualquer governador teriam coragem de se tratar no SUS?", que ao inaugurar um hospital em Pernambuco "de tão bom, dava vontade até de ficar doente", causou estranheza esse conjunto de fatos. Afinal, quem não pode morder, não mostra os dentes.

Flavio Marcus Juliano

4-Mal passado
Dez meses! Tempo desperdiçado, passeando pelo passado, com o mandato barrigado, mentiras ministeriais e nada solucionado,apesar de denunciado, ONG's criminosas com nosso dinheiro desviado, sempre vergonhosamente negado, mas tudo prestigiado, ministros caindo como fruto podre e passado, mensalão não condenado - afinal, nunca existiu o subôrno escancarado e mais do que mostrado -, país desindustrializado competindo com produto oriental subfaturado, escândalos para todo lado, Estadão censurado, gastos da Copa com valor multiplicado, lixo internacional aqui jogado, tudo contaminado, dominado e subornado, uma vergonha nossa Alfândega, nosso Senado e certo empresariado. E a oposição de bico calado, quieta como um tucano embalsamado. Um povo desinformado, omisso e alienado, sempre bovinamente ordenhado.

Flavio Marcus Juliano

5-Dói no coração
Nada tenho contra as convicções religiosas de quem quer que seja. Porém, dói no coração ver as fotos e saber que, em pleno século 21, a fim de se celebrar o quase sacrifício de Isaque por seu pai Abraão ( na ocasião um carneiro, preso pelos chifres entre os arbustos se ferrou no lugar de Isaque), matam de forma brutal inocentes bodes, cabras, touros, carneiros,vacas, camelos que se esvaem em sangue em plena via pública ,num sofrimento incrível. Se a proposta é ofertar um sacrifício de sangue ,por que não oferecer pedófilos, estupradores, assassinos, sequestradores que na região devem ser fàcilmente encontrados?

Flavio Marcus Juliano

6-"Sanções" e Dalilas (editado no Estadão.com em 09/11/2011)
A Comissão de Ética Pública da Presidência da Republica - que nome pomposo! - apesar de não ter poder algum para aplicar sanções (para que serve então?) aos funcionários públicos pegos com a boca na botija ou a mão na cumbuca , aplica,simbòlicamente, uma mancha no currículo, uma censura ética, aos ministros que cairam por suspeita de envolvimento em práticas corruptas no governo. O currículo fica manchado, mas como os pedidos de investigação são sempre arquivados, a folha corrida fica sempre limpinha, embora "dali lá" sejam vários metros de extensão.

Flavio Marcus Juliano

7-Cafonice (editado no Estadão.com em 16/11/11)
Sucesso do momento nos corredores de certo Ministério
"Eu não presto ,mas eu te amo!"

Flavio Marcus Juliano

8-Insignificância
Lendo as cartas no Fórum e as notas no jornal sobre declarações inúteis e sem propósito de um ex-ministro , fico me perguntando qual a importância delas? Uma pessoa que não é eleita pelo povo, que não tem nenhum cargo oficial no governo, para quem não foi pedida opinião sobre o que acha da Marcha contra a Corrupção, que vive com pseudo- nome , que é réu do mensalão - "que nunca existiu"! - para quem tudo é golpe das elites moralistas, mas vive nababescamente "pela causa", defendendo a imoralidade de seu partido e de aliados, que relevância tem? Sua foto - nem a natureza nem o cirurgião plástico foram bonzinhos com êle - exibindo uma camiseta onde deveria se ler "Indecente", é de uma insignificância cúbica. Só minhas cachorrinhas não reclamaram.

Flavio Marcus Juliano

9-Tôrre de Babel
No meio de tantos têrmos inuteis misturados, indevidamente, à rica língua portuguesa - do enter, delete, erase, mouse, initialize ao 50% off, fast-food, feed-back, turn-over, check-in - temos um diligente ministério empenhado em destruir o correto linguajar com o "nóis pesca o peixe" e mais uma "bobagem" de FHC. Dizendo que a oposição tem que falar mais claro com a nova classe média, propõe a criativa frase, bem brasileira (slogan, para ele): "Yes, we care". Como se "Sim, nós nos importamos com você" fosse depreciativo ou ininteligível.Chutando, Sr. Fernando, parece chique, Sr. Henrique, mas é espantoso, Sr. Cardoso!

Flavio Marcus Juliano

10-Gestão deficiente
Entre os piores defeitos que um alto executivo pode reunir estão: hesitação, perda da oportunidade, escolha errada de sua equipe - sete incompetentes em onze meses e, com certeza, há coisas piores ainda nos cargos,sem condições de resistir a mais 37 meses de mandato sofrível - estrutura podre do sistema, vistas grossas com a corrupção galopante e inação. Se não demitir a bala, essa desmoralização "abala". Os "acionistas" da empresa Brasil exigem uma mudança de postura ou um novo nome será buscado no mercado.

Flavio Marcus Juliano

11-O som do silêncio
Engraçado que o silêncio forçado de uns motivam o silêncio de quem teria muito a dizer mas não tem nada inteligente a acrescentar.

Flavio Marcus Juliano

12-Abra os olhos.....(editado no Estadão.com em 16/11/11)
Até os japoneses da Sony conhecem, em profundidade, a periferia de São Paulo. Já o candidato petista à Prefeitura, conhecendo a cidade como conhece Educação, confunde Itaim Paulista com Itaim Bibi. É um calhambeque, bibi...um ato falho, sempre falhando.

Flavio Marcus Juliano


13- És faxinação, amor! (editado no Estadão.com em 18/11/11)
Estão no ar em Brasilia os mais recentes sucessos musicais: Além de "Eu não presto ,mas eu te amo!", um desafinado conjunto de sete ministros interpreta " Dilmaravilha, nós gostamos de você". Eis a letra de um sucesso:
"Os favores mais lindos sonhei
De ONG's mil um castelo ergui
E no desviar, tonto de emoção
Com sofreguidão mil diabruras previ
És faxinação, amor!

Flavio Marcus Juliano

14-Vida doce
Seria inteligente e decente produzir etanol sem o sacrifício da área plantada de culturas alimentícias. Com a alta porcentagem da lavoura paulista ocupada com canaviais, quando apertar a fome do povo, só nos restará assobiar ou chupar cana.


Flavio Marcus Juliano
Postar um comentário