quarta-feira, 26 de outubro de 2011

A semana d'opegapulhas

1-Duelo de anões
A carta da leitora Maria Tereza Murray resumiu, magnìficamente, a melhor questão, até agora, a ser respondida: se, como afirma o ministro do Esporte, o policial militar que o acusou de receber propina é um bandido, por que o mocinho o recebeu em seu gabinete? No Velho Oeste isto não acontecia, não estava no script.
Flavio Marcus Juliano

2-Curioso.....
Roubar dinheiro público sem a devida punição é fazer tribunal de gozação. Curioso como certos fogueteiros desaparecem do noticiário quando o barraco está armado! Sintomático, muito sintomático!

Flavio Marcus Juliano

3-Dormindo no emprego (editado no Estadão.com em 20/10/2011)
Nos dois últimos anos de seu desgoverno, o ex-presidente Lula distribuiu mais de R$ 61 bilhões do contribuinte brasileiro para 27 países, a maioria na America Latina, oito na África e algumas das mais detestáveis ditaduras, como Líbia, Síria e Irã. Agora, pasmem! A maior parte dos recursos saiu do Brasil por meio de financiamento do BNDES para obras tocadas por empreiteiras favoritas do Governo, sem autorização do Senado. Pergunto aos perplexos, lndignados, surpresos e atônitos senadores: isso não é crime de lesa-pátria? o que vocês estão fazendo aí, dormindo? Vocês sabem para que serve um senador ou algum palhaço vai ter que explicar?
Qual a" taxa de sucesso" desses empréstimos? Eduardo, Aloysio,Aécio, acordem e expliquem!

Flavio Marcus Juliano

4-Morte morrida ou matada
E assim os pulhas deste mundo, ditadores inescrupulosos, sanguinários, saqueadores do povo, vão desaparecendo, um a um, junto com seus descendentes. Bilhões e bilhões roubados, torneiras de ouro, palácios luxuosos, olhos sempre fechados para a pobreza em volta, nada disso pertence mais ao mísero cadáver. Que isto sirva de exemplo a outros governantes corruptos, ditadores, coronéis de araque, capitães hereditários por autoproclamação: a morte "morrida" ou matada chegará para êles também. Nem Kadafi se escafedeu.

Flavio Marcus Juliano

5-Velório do mermão
Será que o líder da Lábia irá ao enterro do ex-líder da Líbia? Às nossas custas?

Flavio Marcus Juliano

6-Puxando o tapete (editado no Estadão.com em 25/10/2011)
Parece que a (péssima) idéia de lançar o ministro da Educação para a Prefeitura paulistana, fez os partidários tomarem gôsto pela leitura do Estadão, a julgar pelas recentes cartas publicadas no Fórum. O engraçado é que a campanha eleitoral se inicia, mas tecendo loas à ex-prefeita(pior ainda). Alguém não vai gostar nada, nada de ser desobedecido. De nossa parte, sempre colaboraremos com o desmartamento de São Paulo.

Flavio Marcus Juliano

7-Índole maldita
É triste verificar que a história brasileira descrita nos dois livros de Laurentino Gomes - 1808 e 1822 - explica cabalmente o nojento estado de coisas e o modo político de se administrar a coisa pública que atualmente impera.
Políticos de alta, média e baixa graduação, funcionários publicos, fiscais, empresários, se vendem por qualquer lixo, se corrompem por qualquer estadia num très estrelas frente ao mar, não têm noção de sociedade, de propagação de doenças, de saneamento básico, de respeito ao semelhante. Permitir que sua pátria seja o depósito de lixo tóxico, químico, altamente infeccioso, das "nações desenvolvidas" é o cúmulo da incivilidade, com um Executivo, Legislativo e Judiciário de uma estúpida incompetência, falta de bom senso, porque vivem com suas capinhas nas costas "protegidos" nas tôrres de marfim. O dia que vier uma epidemia causada por esse lixo e alguns desses párias morrer como um rato de esgôto talvez alguma providência seja tomada. Até a aplicação da pena capital a quem viabiliza esse tipo de crime.

Flavio Marcus Juliano

8-Mal passado
Dez meses! Tempo desperdiçado, passeando pelo passado, com o mandato barrigado, mentiras ministeriais e nada solucionado,apesar de denunciado, ONG's criminosas com nosso dinheiro desviado, sempre vergonhosamente negado, mas tudo prestigiado, ministros caindo como fruto podre e passado, mensalão não condenado - afinal, nunca existiu o subôrno escancarado e mais do que mostrado -, país desindustrializado competindo com produto oriental subfaturado, escândalos para todo lado, Estadão censurado, gastos da Copa com valor multiplicado, lixo internacional aqui jogado, tudo contaminado, dominado e subornado, uma vergonha nossa Alfândega, nosso Senado e certo empresariado. E a oposição de bico calado, quieta como um tucano embalsamado. Um povo desinformado, omisso e alienado, sempre bovinamente ordenhado.

Flavio Marcus Juliano

9-Lixeira global
Depois que a presidência do país mudou de cores, em 2003, o Brasil passou a ser visto pela comunidade internacional com outros olhos: um paradisíaco local de descarte de dejetos, resíduos perigosos e materiais contaminados. A lata de lixo global. Desde 2004 sabe-se que há contêineres no Porto de Santos com lixo químico da Espanha, Itália e EUA. Houve o caso inglês no Rio Grande do Sul. Agora o lixo hospitalar americano em Pernambuco. Fora o que não se sabe. Um caso de segurança nacional, um caso de atentado terrorista à saude do povo, uma vez que há grande possibilidade de transmissão de doenças infecciosas. Os países desenvolvidos estão certos de que a nossa vigilância sanitária nos terminais portuários é negligente, omissa, venal, conivente, bem "na intimidade" com empresários inescrupulosos. Só isso explica a facilidade com que as importações passam pela alfândega, agravado pelos indícios que mais contêineres estejam a caminho. A repercussão desse assunto, requer uma atitude firme, e a própria presidente deveria tomar pulso e dar pelo menos um bom exemplo do seu govêrno, não deixando uma rede criminosa impune, seja lá quem forem seus integrantes.

Flavio Marcus Juliano

10-Acendendo a vela
Com o extenso litoral que temos no Brasil, uma orla maravilhosa, baías e represas espetaculares, um belíssimo desempenho dos atletas da vela no Pan e pouquíssimo interesse dos ministérios (in)competentes no fomento da indústria náutica, que poderiam tornar o esporte cada vez mais praticado e acessível aos jovens. Em vez de pensarem grande e planejarem o futuro, os homens de proa ficam só "orlando" e botando na popa do povo.

Flavio Marcus Juliano


11-As patas da esquerda (editado no Estadão.com em 26/10/2011)
Um blog de quinta categoria, além de tecer ofensas à minha pessoa, chama os "15 ou 20 leitores do Estadão" (risos) de canalhas e fascistas, bem como a Direção do prestigioso jornal. Covardemente anônimos, acham, dentro da lavagem cerebral que o petismo lhes ministra, que um cidadão apartidário não pode comentar sobre política, muito menos se manifestar contra o seu partido(mais risos). Ora, ponham-se no seu lugar,ratos! Escrevo gratuitamente, não mamo nas têtas do govêrno, não sou conivente com a desgraçada corrupção que infesta o aparelhamento da máquina pública, não defendo nenhum partido, nenhum político. Critico aquilo que estiver errado, em qualquer esfera. Com nome, endereço, fone e RG. Não me escondo atrás de uma foice e martelo e não ajo em turma, só com a minha consciência limpa. Para quem quiser perder seu tempo, acessando esse lixo da internet:

http://esquerdopata.blogspot.com/2011/10/leitores-do-estadao-sao-mais...
Flavio Marcus Juliano

12-A latrina do mundo(editado no Estadão.com em 23/10/2011)

Em julho de 2009 enviei e-mails aos senadores do Rio Grande do Sul e de São Paulo sobre 40 conteineres de lixo da Inglaterra descobertos em Bento Gonçalves que, em tese, foram devolvidos à rainha. Apenas o senador Zambiasi do Rio Grande do Sul se dignou a me responder. Em Santos, desde 2004 há conteineres com lixo químico da Itália, Espanha e EUA, para os quais até hoje não se sabe o desfecho. E, é claro, os senadores paulistas, inclusive o nascido em Santos, senador petista nessa época, nem sequer me responderam, omissos como sempre. Quanto aos conteineres com lixo dos EUA em Pernambuco - e, com certeza, em outros Estados também-deveria haver pesada punição a quem importou, a quem distribuiu, a quem comprou e a quem, muito "na intimidade" alfandegária, liberou os conteineres dos portos.Será que o pessoal da capinha nas costas não se interessa pela zorra?

Flavio Marcus Juliano



13-Ponto de escroque
Empresários de vários Estados, aparentemente, estão metidos nesse sujo, criminoso e ilícito "negócio" de compra, venda, importação e distribuição de lixo hospitalar, sem se importar com as graves consequências para a saúde da população. A apreensão e rápida destruição ou devolução ao criminoso país exportador são atitudes elogiáveis, mas a detenção dos responsáveis, inflingindo-lhes pesadas multas, prejuízos e reclusão em regime fechado são imprescindíveis para impedir a continuidade do crime. Roupa de cama e banho com manchas de sangue serem comprados como ponta de estoque de indústria é um argumento que qualquer advogado de porta de cadeia deveria se envergonhar de defender.

Flavio Marcus Juliano

14-What?
Causou-me surpresa a informação sobre o eventual destino do lixo hospitalar (A19 -25/10). O Ibama, corretíssimo, quer a devolução aos EUA com o custo do transporte pago pelo importador e responsabilizando a empresa exportadora. Agora, alegar que o trâmite da devolução não é fácil e que o procedimento usual é o da incineração, é vergonhoso, pois caberá a nós o trabalho sujo que deveria ser feito nos EUA. E mais vexatória ainda é a preocupação de saber se os EUA aceitam a carga de volta! Por acaso os EUA perguntaram se o Brasil aceitava a importação? O Min. das Relações Exteriores vai abaixar as orelhinhas para o Tio Sam?

Flavio Marcus Juliano

15-Sucesso do momento
Minha corrupção, não sei por que
Corre feliz quando não se vê
E minhas ONG's ficam sorrindo
E pelas verbas vão me seguindo
Mas mesmo assim, cheguei ao fim....

Flavio Marcus Juliano

16-Orientação vocacional
Com 25% de reajuste nas mensalidades escolares, as crianças serão orientadas para ser ministro ou presidente da República, vocações que não exigem empenho estudantil nem sacrifício financeiro e até recebem diplomas graciosamente.

Flavio Marcus Juliano

17-Terra de ninguém
Numa das fotos divulgadas na internet sobre o conflito entre PM e camelôs no bairro do Brás, uma mulher segura a seguinte placa: "Sem trabalho, como vamos sustentar nossa família?". Seria interessante que ela e os camelôs ilegais respondessem a "Sem impostos, como vamos criar escolas, hospitais e demais serviços para a sua família"?

Flavio Marcus Juliano

18-Novas modalidades
Vergonhosamente, seis ministros do atual govêrno deixaram o cargo por motivos nada elogiosos. O último a cair (até agora), o dos Esportes, foi denunciado, curiosamente, porque deram "bola" ao sexto.

Flavio Marcus Juliano

19-Vaza!
"E nem" começa a prova e a maracutaia vaza. Em tudo que o MEC põe a mão- da edição de livros com ensinamentos errados ou condenáveis a provas fraudadas - a sujeira vaza. Sendo objetivo quanto ao sonho do ministro da pasta em ser prefeito de São Paulo: vaza!

Flavio Marcus Juliano
Postar um comentário