segunda-feira, 8 de agosto de 2011

AMORIM OU AMORIM

(Na Folha (6/08) e no Estadão online, segunda-feira, 8.08.2011)
Lula afirmou em Bogotá: "Não cabe aos militares gostar ou não gostar de uma indicação da presidente da República". Essa opinião me faz lembrar Henry Ford que dizia que o consumidor podia escolher qualquer cor para seus carros, contanto que fosse preto. Assim, para o ex-presidente (e a atual que aceita), as Forças Armadas não têm escolha, ou é Amorim ou é Amorim, fim de papo! Cadê a civilidade democrática? Cadê o diálogo saudável entre Poderes? Não é de admirar a alta rotatividade do atual ministério!
Silvano Corrêa
Postar um comentário