sexta-feira, 8 de abril de 2011

TOLERÂNCIA ZERO

(No Estadão impresso e Folha de Londrina, sexta-feira, 8.04.2011) Parece que estamos copiando tudo de errado e nada de certo de países como os EUA. Agora também temos no Rio de Janeiro até assassinato em massa. Aliás, essa cidade há muito tempo sofre sério problema de segurança e precisa adotar urgentemente uma política de tolerância zero, como a de Nova York do então prefeito Rudolph Giuliani. No Rio, armas e munições, até de uso exclusivo das Forças Armadas, são encontradas com frequência nos morros e na periferia e tiroteios são comuns nos bairros mais pobres. E as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) parece que pouco adiantaram, a não ser remanejar criminosos entre as favelas e criar um falso clima de trégua. A tragédia de ontem revela mais uma vez que o clima de insegurança no Rio é altamente preocupante. Infelizmente, acredito que isso seja o resultado da falta de realismo de seus governantes, prolixos em ideias grandiosas e discursos, mas inapetentes (ou incompetentes?) para impor a disciplina necessária à coexistência entre classes sociais e ao bom atendimento a turistas. Enquanto o populismo, a demagogia e a frouxidão prevalecerem sobre "o governar com pulso firme", só resta aos nossos irmãos cariocas se esconder em casa, rezando pelo "milagre" de paz e segurança. E aos turistas que assumiram o risco de visitar a Cidade Maravilhosa, refugiar-se nos hotéis. Seja como for, o Brasil inteiro está sofrendo por essa tragédia e rezando pelos inocentes que foram atingidos tão barbaramente! Silvano Corrêa
Postar um comentário