terça-feira, 2 de novembro de 2010

Governo iletrado

Reescrevendo a História (editado no Estadão on line em 02/11/2010)
Quando os cérebros, donos do poder, reescreverem a História do Brasil, dividindo-a entre a.L. - e no princípio era o caos- e d.L. - nunca antes neste país- outras barbaridades poderão engrossar a nova enciclopédia. A mais recente, é a sugestão de exclusão da obra-prima "Caçadas de Pedrinho" de autoria de Monteiro Lobato, da lista de leitura infantil, por ter conteúdo racista. A inteligente integrante do MEC que sugeriu, sem levar em conta o período em que a obra foi escrita, certamente, reescreverá a obra com a Tia Nastácia loira de olhos azuis, Tio Barnabé, surfista de novela e o Saci, suéco. Esquece a obtusa que, os tres personagens, queridos por todos os moradores do Sítio e por todos os milhões de leitores de pelo menos três gerações, nunca foram diminuídos ou humilhados por causa da sua cor. Tomara 56 % dos eleitores do Brasil, tivessem oportunidade de ler todas as obras de Monteiro Lobato. O Brasil seria melhor, muito melhor!

Flavio Marcus Juliano


Censura sem curaPelo andar da carroça e da zelosa vigilância do Ministério da Inducação i Curtura, outras obras infantis de Monteiro Lobato poderão vir a ser vetadas para leitura das nossas crianças, mesmo as que não sentem azia ao ler e que são estimuladas pelos pais a se interessar pelos grandes autores brasileiros:


- O Poço do Visconde - a turma do Sítio será acusada de explorar petróleo ilegalmente, em terras invadidas pelo MST. O Visconde de Sabugosa será processado por induzir os trabalhadores do Sítio a comprar ações com o FGTS e, em seguida, derrubar a cotação na Bolsa. Dona Benta será indiciada por não empregar militantes do partido situacionista, não fazer nenhum elogio às enormes jazidas existentes no pré-sal - seria pré-salão? - e só criticar o men-salão.

-Viagem ao Céu - abertura de processo contra Dona Benta, pois a viagem não partiu da Barreira do Inferno, foi sem discurso prévio do Grande Chefe, sem ciência da Nasa e sem palestra remunerada do astronauta brasileiro.

-A Chave do Tamanho - a mexida na chave que regulava o tamanho das pessoas, diminuindo-as, deixou-as nuas, perambulando pelo mundo, pois as roupas não foram afetadas. A obra será censurada por pornografia explícita.

-Reinações de Narizinho - num reino encantado (que a censura vai achar que é Brasília), Narizinho convive com um sapo - Major Agarra-e-não-larga-mais - que pode ser uma referência velada a alguém que se agarra ao poder durante 3 mandatos.

Flavio Marcus Juliano
Postar um comentário