terça-feira, 7 de setembro de 2010

VIROSE NACIONAL

(No Estadão online, sábado, 4/09/2010)
Falta menos de um mês para uma das mais importantes eleições de nosso Brasil. Quase todo o território nacional sofre com a baixa umidade e nas cidades maiores, como São Paulo, com um ar poluído e insalubre. Muita gente está acometida de gripes e viroses, tendo de apelar para tratamento forte à base de antibióticos. Muitos estão tossindo e espirrando. E, no corre-corre e na pouca valorização de bons costumes, poucos ouvem de pessoas próximas palavras gentis desejando: ''Saúde!'' Assim está nossa nação. Sofrendo terríveis e insidiosas ''viroses'': a da afronta aos direitos humanos e badalação de notórios ditadores; da Justiça lenta e desigual favorecendo os amigos do rei e poderosos com graúdos advogados; da violação de dados pessoais (como foi o caso do caseiro Francenildo); da irresponsabilidade e impunidade dos que estão lotados politicamente em cargos públicos; do desprezo pelas leis eleitorais através do uso acintoso da máquina pública e de ministros no apoio da campanha de candidata escolhida e imposta pelo presidente... e muitas outras. Nosso Brasil também está precisando de um tratamento forte e eficaz. Devemos usar nossos votos como ''antibióticos'' no dia 3 de outubro. Quem sabe, assim, a partir de 1.º de janeiro, possamos ver nossa Pátria dominando essa terrível ''virose'' e, com mais esperança, todos possamos desejar a ela: ''Saúde, Brasil!" Mas muito cuidado, a doença continuará cada vez pior se não a atacarmos com forte dose de ''antibiótico'' no dia 3.
Silvano Corrêa
Postar um comentário