sexta-feira, 13 de agosto de 2010

As quentinhas d'opegapulhas

1-Jogo sujo (editado no Portal do Estadão em 07/08/10)
Nosso governo chinfrim, além de gostar da coisa pública, agora admite "falha" ao meter a mão na privada, permitindo acesso livre a dados sigilosos de apenas 12 milhões de inscritos no ENEM. Parabéns ao Estadão que, eficazmente, assessorou o Inepto Ministério da Educação, alertando-o sobre o incidente. O que esperar, caso a candidata situacionista ganhasse as eleições? Aposte!
Flavio Marcus Juliano

2-Ahpedrejinejad (editado no Portal do Estadão em 16/07/10)
O presidente iraniano deveria ser advertido pelo mundo todo e sofrer todas as sanções possíveis, caso não extinga essa absurda punição. Se adultério fosse crime no Brasil, passível de apedrejamento, a Vale dobrava seu serviço de mineração. É um absurdo, em pleno século 21, um regime paleolítico praticar crueldades, sob o olhar passivo e irresponsável do mundo civilizado, e ainda angariar a simpatia de governantes retrógrados. Agora, se quiserem uns políticos brasileiros para praticar pontaria, é só pedir que exportamos barato e rapidinho..................
Flavio Marcus Juliano

3-Mais promessas vãs? (publicado no Estadão em 06/08/10)
Assunto que me exaspera é um governante ter chegado aonde chegou porque tem méritos, quando, na verdade, muitas vezes terá sido por demérito dos milhões que, por ignorância, lhe confiaram o voto. Nos 510 anos, desde que fomos "achados" oficialmente, nunca vimos um governante sequer apresentar, com seriedade, um programa para educação de base. Claro que isso não é descuido, mas profundamente estratégico e proposital, pois povo educado, esclarecido, culto e saudável é uma tremenda dor de cabeça para nossos medíocres políticos. Terceiro mundo é muito mais fácil de administrar e ovelhas submissas são mais mansas, cordatas, aceitam qualquer lei, qualquer conversa mole de palanque, qualquer um que lhes pastoreie, mesmo às custas de uma tosquiada de vez em quando. Gostaria demais que Educação fosse o tema principal dos debates que teremos até outubro. Só assim saberemos quem realmente está compromissado com o futuro das nossas crianças e a preparação dos líderes de amanhã.
Flavio Marcus Juliano

4-Bom de zona
A declaração de bom e honrado velhinho, de que sua filha (sua filha!) é fruto de uma noitada na zona, confirma a frase: "A reputação de mil anos pode ser determinada pelo comportamento de uma única hora". E o povão continua acreditando em tudo: na Caras, no BBB, na novela, no presidente, na Dilma, nas pesquisas, na Justiça, nos políticos, nas igrejas, no Domingão, nas loterias, que Cristo vai voltar.........e que existe Dia dos Pais com um pai desses!
Flavio Marcus Juliano

5-........e o vento levou!
Analisando os dados divulgados sobre o extra " ordinário" programa Minha Casa, Minha Vida, sugiro rebatizá-lo por Castelo de Areia, bem mais apropriado. Tão sem sustentação como as casas na estória dos porquinhos.
Flavio Marcus Juliano


6-Derrota irrevogável
Era uma vez, num reino distante, uma disputa para governar o principal Estado do país. Fizeram uma pesquisa de intenção de voto que projetou uma derrota acachapante de um certo mercadante. Ciente da derrota irrevogável, temendo ser ultrapassado até pelo candidato "Brancos e Nulos", escafedeu-se para o palácio montado num búfalo. Seu amo e senhor, já irritado com sua marionete que não conseguia falar direito, perguntou-lhe: "Será que a causa não é o seu fraquíssimo desempenho como político, coçando durante 8 anos? É...... tá russo, mano!"
Flavio Marcus Juliano

7- Neurônio solitário (editado no Portal do Estadão em 09/08/10)
O debate entre os presidenciáveis (por que mudei de canal, hein?), apresentado anteontem numa TV, mostrou, claramente, que um deles, que detém boas intenções de voto - a Neurônio Solitário - chuta, mente, exagera, gagueja, agride faltosamente, vacila no ataque e na defesa e "franga" nas bolas fáceis, ou seja, não está preparado para a modalidade. Até a partida decisiva em outubro, só vai ouvir "olé" da arquibancada, para desespero de seu medíocre técnico. Aposte!
Flavio Marcus Juliano


8-Raça maldita (publicado no Diario de São Paulo)
O leitor Sr. Conrado de Paulo propõe a esterilização e a proibição da venda de certas raças caninas. Ora, é impossível não amar essas raças. Temos uma rotweiler, extremamente mansa, brincalhona com crianças e com outras raças caninas. Como o homem, o cão é apenas produto do meio em que é criado. Se o animal apontado pelo leitor matou seu dono, êle só devolveu o que recebeu: pouco afeto, pouco alimento, pouca atenção. Há raças, malditas sim, bem mais prejudiciais à sociedade, que deveriam ser esterilizadas: pedófilos, sequestradores, estupradores, traficantes, políticos, etc.
Flavio Marcus Juliano



9-Abriu a caixa!
Pandora foi a primeira mulher dotada de todos os dons, responsável pela vinda do mal, pois abriu a caixa onde Zeus havia encerrado todas as misérias e males. No fundo da caixa restou aos humanos, à guisa de consôlo, apenas a esperança.
A primeira mulher presidenciável, dotada pelo seu protetor de todos os dons, nunca antes neste país, ao abrir a boca no primeiro debate na TV e nas entrevistas, abriu a caixa de Pandilma, para o zépovinho saber muito bem as mentiras e males que deve evitar. Não é melhor votar certo, já no primeiro turno?
Flavio Marcus Juliano


10- Os fichas zero (editado no Portal do Estadão em 13/08/10)
Fica-se discutindo, com plena razão, o impedimento aos fichas sujas, que não só deveriam ser banidos da política, como do país, também. Porém, ninguém fala dos fichas zero, tais como nossos senadores petistas por São Paulo, que durante todo o mandato nada fizeram de útil, de construtivo, de digno de nota. Se escondem do trampo, meses seguidos, havendo tanta coisa que a locomotiva do Brasil necessite. Ineficientes e ineficazes, não passariam no período de experiência de 90 dias em qualquer empresa de pequeno porte. E, mesmo assim, ainda querem governar, ministeriar, senatoriar, continuar,perpetuar-se! Cuidado com seu voto, povo paulista! Tem coisa pior querendo se achegar. The answer, my friend, is blowin' in the wind.........
Flavio Marcus Juliano


11-Carapuça para o povo
"O fato de uma opinião ter gozado de aceitação geral não significa, de maneira alguma, que ela não seja totalmente absurda; de fato, em vista da estupidez da maioria, uma crença muito difundida é mais provàvelmente uma tolice do que algo sensato" . Bertrand Russell (1872-1970), revisitado às vésperas das eleições, quando 80% do povo brasileiro acredita ter os pés no chão - e parece que as mãos também.
Flavio Marcus Juliano


12-E os pedófilos, hein?
Representando uma instituição com a credibilidade sèriamente abalada, o papa pede desculpas ao Papai do Céu, mas nós, cidadãos normais e de mente saudável, temos obrigação de exigir severa punição aos pedófilos. As autoridades e a sociedade têm que entender que não adianta os superiores afastarem esses celerados da Igreja. Nas ruas e no ócio, os pedófilos criminosos continuarão a extravasar sua tara, a caçar suas vítimas, a navegar por sites pornográficos e a colecionar milhares de fotos indecentemente explícitas com menores inocentes.
Mesmo que saibamos, por pesquisas, que há predadores sexuais mais asquerosos, como pais biológicos, padrastos e avós, a pedofilia que grassa na Igreja não é menos condenável. As vítimas desse crime hediondo devem, judicialmente, sangrar o cofrinho da Igreja. Assim, ela não conseguirá sentar sobre anos e anos de descuido e negligência na seleção e formação do clero, seja por heteros ou por homos, mas mentalmente insanos e deformados
Flavio Marcus Juliano


13- Que é isso, povo paulista? (editado no Portal do Estadão)
Está certo que os novos aspirantes ao Senado, pelo laborioso Estado de São Paulo, não são, nem de longe, boas opções. Agora, a ex-prefeita de São Paulo, após ineficiente e ineficaz administração da cidade, liderar pesquisa de intenção de voto? Ora, bolas, parem prá pensar!
Flavio Marcus Juliano


14- Maranhão em pleno século 18 (editado no Portal do Estadão)
Às vésperas do triste, vergonhoso e indecente primeiro aniversário da censura imposta ao Estadão, lembrei-me de uma passagem do livro "A era da incerteza",(J.K.Galbraith/1977), onde a semelhança entre a côrte francesa no século XVIII e certos políticos brasileiros é marcante:"Pessoas que gozam de privilégios preferem sempre arriscar-se à total destruição, em vez de submeter-se a qualquer redução de suas vantagens materiais. Os privilegiados acham que seus privilégios, não importando quão ostensivos possam parecer aos outros, constituem direitos solenes, fundamentais, que lhes cabem por obra de Deus. Quando a reforma a partir de cima torna-se impraticável, a revolução a partir de baixo torna-se inevitável."
Flavio Marcus Juliano


15- Isenção
Gostaria de registrar a expressiva quantidade de e-mails de origem "desconhecida", que venho recebendo diàriamente, reclamando das críticas que leitores fazem ao atual governo. Ora, se temos um governante há quase 8 anos, que se apodera vergonhosamente das realizações de seu antecessor, se tem uma assistente de picadeiro que diz ,na caradura ,que tudo que o governo fez de bom tem a mão dela, (até o Rodoanel paulista!), se êle tem duvidosa popularidade, se é o cara mais "influente" do planeta , é o melhor promotor de relações internacionais, fortalecendo laços com ditadores inconsequentes, que pouco se importa com os aposentados e menos ainda com a corrupção do seu partido, os leitores irão criticar quem? Deodoro da Fonseca? Experimentem colocar um novo presidente, qualquer um ,de qualquer partido, para ver se êle não será duramente criticado, também. Sempre, por um Brasil melhor!
Flavio Marcus Juliano
Postar um comentário