sábado, 21 de agosto de 2010

As 15+ d'opegapulhas

1-Apocalipse tupiniquim
Com a possível descoberta do maior campo petrolífero terrestre do País, nossa pobre Amazônia acabará tendo sòmente milhares de bois em cima e milhões de barricas em baixo. A floresta constará apenas nos livros de História para conhecimento de nossos descendentes, isso se certos governantes permitirem que o passado seja contado ou, quem sabe, reescrevam a História ao estilo que conhecemos: mentindo.
Flavio Marcus Juliano

2- Grudar ao título de eleitor (publicado no Diario de São Paulo em 18/08/10)
Será que nós, paulistas , iremos nos lembrar nas próximas eleições de não votar nas nulidades que atualmente nos representam na Câmara e no Senado? The answer, my friend, is blowin' in the wind.......
Flavio Marcus Juliano


3-Mais promessas vãs? (publicado no Estadão em 06/08/10)
Assunto que me exaspera é um governante ter chegado aonde chegou porque tem méritos, quando, na verdade, muitas vezes terá sido por demérito dos milhões que, por ignorância, lhe confiaram o voto. Nos 510 anos, desde que fomos "achados" oficialmente, nunca vimos um governante sequer apresentar, com seriedade, um programa para educação de base. Claro que isso não é descuido, mas profundamente estratégico e proposital, pois povo educado, esclarecido, culto e saudável é uma tremenda dor de cabeça para nossos medíocres políticos. Terceiro mundo é muito mais fácil de administrar e ovelhas submissas são mais mansas, cordatas, aceitam qualquer lei, qualquer conversa mole de palanque, qualquer um que lhes pastoreie, mesmo às custas de uma tosquiada de vez em quando. Gostaria demais que Educação fosse o tema principal dos debates que teremos até outubro. Só assim saberemos quem realmente está compromissado com o futuro das nossas crianças e a preparação dos líderes de amanhã.
Flavio Marcus Juliano

4-Em guarda!
"O povo (brasileiro) precisa manter-se em guarda contra a aquisição de influência injustificada, solicitada ou não, por certas (propagandas político-partidárias). A possibilidade do aumento desastroso de poder em mãos erradas existe e continuará a existir. Não devemos fiar-nos em nada."
Presidente Dwight Eisenhower,1961., adaptado e revisitado, às vésperas das eleições tupiniquins, quando muita besteira e muita mentira irão rolar, para convencer o zépovinho que o poste já ganhou.
Flavio Marcus Juliano

5-A síntese perfeita!
Podemos esquecer tudo o que foi dito, escrito e repisado. O leitor Fernando Fenerich (Forum 22/08) sintetizou, sàbiamente, um slogan, que nunca antes neste país-circo presenciamos: "Lula é o Tiririca que deu certo!". Será que, com sua candidata, a coisa não consegue ficar pior do que está?
Flavio Marcus Juliano


6-Derrota irrevogável
Era uma vez, num reino não muito distante, uma disputa para governar o principal Estado do país. Fizeram uma pesquisa de intenção de voto que projetou uma derrota acachapante de um certo mercadante. Diante da derrota irrevogável, temendo ser ultrapassado até pelo vacilante candidato "Brancos e Nulos", escafedeu-se para o palácio montado num búfalo. Seu amo e senhor, já irritado com sua marionete que não conseguia falar direito, perguntou-lhe: "Será que a causa não é o seu fraquíssimo desempenho como político, coçando durante 8 anos? É...... tá russo, mano!"
Flavio Marcus Juliano

7-Na mosca!
A candidata petista acertou na mosca ao dizer, em comício, que o candidato petista ao governo de São Paulo pode dar ao Estado, a mesma contribuição que deu ao Brasil no Senado Federal: irrevogàvelmente, nenhuma !
Flavio Marcus Juliano


8-Nostradamus 2011
Estou realmente farto do baixo nível a que chegou a campanha eleitoral para todos os cargos a serem preenchidos: mentiras, maldades, omissões, uma falsa elegância na disputa, uma incompetência em mostrar a que vieram. Algo me diz que nem sabem mesmo a que vieram, a não ser se arrumar uma boquinha, às custas do voto e do trabalho de um povo omisso, desinformado e alienado.
Frente a um eventual continuismo da corrupção aberta, asquerosa e desenfreada, frente ao vergonhoso uso da máquina do govêrno para servir a apenas dois partidos, frente às novas nulidades que perigam ingressar na Câmara e no Senado, pois só vejo um bando de palhaços e artistas de terceira categoria em campanha, pergunto: será que tudo isso que está aí, nunca antes neste país, conseguirá ficar pior?
Flavio Marcus Juliano



9-Senado ou Se é nada?
Analisando as opções de candidatos para representar o Estado de São Paulo no Senado, seria prudente o povo paulista incentivar o "desmartamento" do Estado. Não é crime ambiental!
Flavio Marcus Juliano


10- Os fichas zero (editado no Portal do Estadão em 13/08/10 e publicado no O Globo em 16/08/10))
Fica-se discutindo, com plena razão, o impedimento aos fichas sujas, que não só deveriam ser banidos da política, como do país, também. Porém, ninguém fala dos fichas zero, tais como nossos senadores petistas por São Paulo, que durante todo o mandato nada fizeram de útil, de construtivo, de digno de nota. Se escondem do trampo, meses seguidos, havendo tanta coisa que a locomotiva do Brasil necessite. Ineficientes e ineficazes, não passariam no período de experiência de 90 dias em qualquer empresa de pequeno porte. E, mesmo assim, ainda querem governar, ministeriar, senatoriar, continuar,perpetuar-se! Cuidado com seu voto, povo paulista! Tem coisa pior querendo se achegar. The answer, my friend, is blowin' in the wind.........
Flavio Marcus Juliano


11-Carapuça para o povo (publicado no Estadão em 15/08/10)
"O fato de uma opinião ter gozado de aceitação geral não significa, de maneira alguma, que ela não seja totalmente absurda; de fato, em vista da estupidez da maioria, uma crença muito difundida é mais provàvelmente uma tolice do que algo sensato" . Bertrand Russell (1872-1970), revisitado às vésperas das eleições, quando 80% do povo brasileiro acredita ter os pés no chão - e parece que as mãos também.
Flavio Marcus Juliano


12-Festa de arromba
É patético ver dois abutres brigando pela carniça, mesmo antes da caça estar garantida(A4 - 22/08): de um lado, o onívoro e faminto convidado reivindicando a metade do bolo - Partilha ao Meio Dividindo a Bolada - do outro, o rapinante e voraz dono da casa - Pegamos Tudo. Infelizmente, o povo brasileiro não sente que há muito a temer, com a partilha "meio a meio" do nosso triste futuro. Afinal, como disse o sábio Millôr: "Um rato não pode ser juiz na partilha de um queijo".
Flavio Marcus Juliano


13- Que é isso, povo paulista? (editado no Portal do Estadão)
Está certo que os novos aspirantes ao Senado, pelo laborioso Estado de São Paulo, não são, nem de longe, boas opções. Agora, a ex-prefeita de São Paulo, após ineficiente e ineficaz administração da cidade, liderar pesquisa de intenção de voto? Ora, bolas, parem prá pensar!
Flavio Marcus Juliano


14- A latrina do mundo
A recente "descoberta", no Porto de Rio Grande, de mais 22 toneladas de lixo provenientes da Alemanha, nos faz pensar no baixíssimo conceito que o resto do mundo faz do Brasil e, quem sabe, como nós, de nossos governantes.
Desde 2004 há lixo tóxico "esquecido" no Porto de Santos e nosso senador santista sequer se manifestou a respeito. E ainda acha que tem condições de administrar o Estado inteiro! Somando-se à enorme tonelagem de lixo inglês, que nunca foi comprovado se inteiramente devolvido,
cabe-nos sentar e lastimar a que ponto a pujante potência chegou.
Infelizmente, o povo brasileiro nada faz para se livrar do lixo acumulado no "Pôrto de Brasília" - que daria para encher vários contêineres - nem se interessa pelo assunto, mesmo no Sul/Sudeste esclarecido.Ou alguém tem interesse nessa bolsa-permanência? Os Ministérios da Defesa, das Relações Exteriores e o do 0,5 Ambiente estarão dormindo em berço esplêndido? Qual a opinião "abalizada" dos candidatos verde, vermelho e amarelado à Presidência?
Flavio Marcus Juliano


15-Tsunami amarela
Da China, onde as crianças recebem, desde a tenra idade, o mais alto nível de instrução, vem a notícia que a nova zelite está se mandando do país, em busca de melhor educação para os seus filhos? Buscam fora do "invejável" crescimento econômico de 9,1%, fora da segunda economia do mundo,maior segurança econômica, num resto de mundo agonizante?
Será que nunca antes naquele país, se falou tanta besteira como neste país?
A nota triste (A22-15/08) é que lá, os corruptos foram os primeiros a sair e, aqui, do Oiapoque ao Chuí, não há meio dos nossos irem embora, e nos deixar o ar mais puro!
Aqui, como lá, eu e a Liu Leng não sabemos se as coisas são verdadeiras ou falsas, like a Paraguai!
Flavio Marcus Juliano
Postar um comentário