domingo, 25 de julho de 2010

VALORES INVERTIDOS

(No Estadão online, domingo, 25/07/2010)
Já que estão pensando em legalizar a ''profissão'' de flanelinha, gostaria de propor o mesmo para os ''malabaristas de cruzamento''. Depois de legalizados, eles poderiam ter suas contribuições (obrigatórias?) tabeladas de acordo com o número de bolinhas ou objetos que joguem para o alto simultaneamente. Nesse mesmo sentido, acho justo um regulamento que determine que pedintes grávidas recebam um valor extra como antecipação de licença-maternidade, ou por quantidade de filhos que já tenham. E não seria o caso de se acrescentar na esmola o seguro-saúde, FGTS e demais benefícios sociais? Naturalmente, como corolário, o acompanhamento e controle de tudo isso seriam realizados por um novo ministério: o Ministério dos Flanelinhas e Desempregados Urbanos (MiFDEU)... Eis o Brasil do quebra-galho, da esperteza e do jeitinho, caminhos certos para afundarmos no Terceiro Mundo.
Postar um comentário