sábado, 17 de julho de 2010

Carta-denúncia ao Jornal O POVO / CE

Leiam primeiro a matéria lá mais embaixo publicada no Jornal O POVO , do Ceará...para entender que , sob disfarces variados, os nordestinos estão sendo insuflados contra os PAULISTAS, num preconceito às avessas, quando justamente disso nos acusam...Em função disso, tenho sempre respondido aos textos que plantam este ódio entre brasileiros , e hoje mandei este , em azul, para o jornal O POVO. Certamente não será publicado, por isso, se acharem por bem, também se manifestem-
cartas@opovo.com.br


Racismo - Manifesto prega preconceito contra nordestinos em SP


Esta é a segunda manifestação contra paulistas que eu encontro em jornais do Nordeste esta semana. A primeira, de um leitor na seção de cartas do Jornal do Commércio de Pernambuco, falando em pixações contra nordestinos nos muros da cidade de São Paulo -(sem nenhuma foto comprovatória...e agora é tarde para aproveitar a idéia , pois uma foto pode ser facilmente produzida)- desde a década de 50 quando aqui morou...esquecendo-se que nesse tempo nem se sonhava em desrespeitar a propriedade alheia com pixações. Esquecendo-se também que São Paulo é uma cidade de um povo que pratica a miscigenação desde os tempos do Brasil colonia e que em função disso a lingua tupi-guarani era mais falada entre a população da terra de Piratininga que o próprio idioma portugues até final do séc. XVIII .São Paulo nunca foi preconceituosa, mas sim acolhedora e reconhecida pelo trabalho daqueles que aqui buscaram sair da miséria com seu próprio esforço, e assim ajudaram a construir nossa grandeza, e neste nossa, estão englobados nordestinos, judeus, árabes, sul-americanos, italianos, alemães, japoneses, coreanos....hoje todos paulistas e paulistanos.

Agora , aparece esta reportagem no jornal O Povo que, de forma muito inteligente, já fala de uma petição "APÓCRIFA" mas em cujo texto, supostamente dá a entender que é de lavra de um paulista. Eu não vi esta aberração circular pela internet, pelo menos não chegou a mim, , e se tivesse chegado, teria imediatamente denunciado seu texto no site da Policia Federal. Porem, em sendo declarada apócrifa, quem me garante também que não tenha saído da mente de um militante de algum partido , para ser usado contra os paulistas, ou melhor, contra o candidato paulista à presidência da República...não por acaso de um partido da oposição ao governo?

O propósito destas mensagens que incentivam o ódio entre brasileiros de diferentes regiões já se sabe qual é...meramente político e infelizmente muito incentivado publicamente por influentes políticos. Pois bem, ao que eu saiba, existe lei que condena o incentivo e a prática de preconceito neste país...seja de que tipo for. Na medida em que um jornal publica um texto denunciando uma petição por incentivo ao preconceito, já se sabendo que o caminho certo teria sido denunciá-la à PF como crime na internet e o assunto já estaria resolvido de forma legal e rápida - me fica uma sentimento de suspeição. Infelizmente , com a publicação desta matéria, eu posso também supor ou desconfiar que , por trás desta denúncia, disfarça-se , ou esconde-se, o fomento ao ódio entre brasileiros do nordeste contra os paulistas , pois a simples leitura desta matéria pode acirrar os ânimos e com toda razão ferir a sensibilidade dos leitores nordestinos ...portanto, considero que a publicação desta matéria fez a função , com outra fisionomia, daquela petição apócrifa e indecente que jogaram na internet e que jamais vai refletir o sentimento da população de São Paulo.

Eu prefiro imaginar que eu esteja completamente equivocada...e que jamais o jornal O POVO tenha pensado em usar seu espaço para jogar brasileiros do nordeste contra os paulistas com intuitos políticos...porque isso é crime!


Muito grata pela atenção,


Mara Montezuma Assaf - cidadã paulista e paulistana



Racismo
Manifesto prega preconceito contra nordestinos em SP
Petição online apócrifa recolhe assinaturas e comentários de pessoas que criticam a presença de nordestinos no Estado de São Paulo. Texto, porém, nega racismo
15/07/2010 02:00

“O paulista olha ao seu redor e se vê um estrangeiro em sua própria terra. Presencia desrespeitos e hábitos impostos. Alta criminalidade, hospitais superlotados. Isto tudo relacionado à migração nordestina que a nossa terra sofreu nos últimos tempos”. É dessa forma que a petição online “São Paulo para os Paulistas” inicia a lista de acusações aos nordestinos que migraram para São Paulo pelos problemas enfrentados pela metrópole. Mais do que isso, o manifesto que circula na Internet sugere que os “estrangeiros” deixem o Estado.

O site PetitionOnline é um serviço virtual que armazena petições públicas, sem a necessidade de identificação. No manifesto, sem se identificar, o autor atribui aos nordestinos práticas como: “opressão e imposição sobre a cultural local”; “desrespeito à diversidade e xenofobia”; “migração predatória”. O documento defende que o Estado de São Paulo nunca recebeu investimentos da União, sendo praticamente um país à parte que se desenvolveu sozinho, e que, portanto, não deve nada ao Brasil, já que também é mantido pelos paulistas e não pelos brasileiros.
Afirma ainda que os valores culturais são determinantes para a índole e modos de agir das pessoas e que não deve haver tratamento igual entre paulistas e “forasteiros”, pois desta forma os primeiros estariam sendo discriminados. O autor diz que as afirmações do documento não são preconceituosas, devido à “veracidade das informações”. “Rejeitamos ainda calúnias de racismo. Nossa cor não é branca, não é morena, não é negra. Nossa cor é São Paulo”, diz.
EstereótipoPara a socióloga Rejane Vasconcelos, professora da Universidade Federal do Ceará (UFC), a acusação pode ser considerada normal, do ponto de vista das relações sociais. Segundo ela, tudo que vem de fora, sejam migrantes, negros, ou de alguma forma “diferente”, são vistos com uma visão estereotipada. “Eles são estereotipados como portadores do mal. É uma tendência de grupos políticos radicais criminalizarem os que vêm de fora”.
Rejane disse ainda que lhe causa estranheza que um movimento deste tipo ocorra em uma fase virtuosa da economia e ressaltou que durante a expansão de São Paulo os migrantes eram bem-vindos.
A socióloga defendeu ainda que, ao contrário do que muitos pensam, o Nordeste não é uma região-problema. “O Nordeste não é e nunca foi um problema para o país. Os nordestinos em São Paulo muito menos. Isso é encontrar uma saída fácil, estigmatizada e brutal, para uma questão que é social e que afeta a todas as regiões do país”, criticou.
“O que se pode fazer com esse manifesto é enquadrá-lo como crime. Antes de serem nordestinos, são brasileiros. Isso é algo que nos nivela, a nacionalidade”, destacou.
CearensesEm Fortaleza, a mestrando em História, Raquel Tomás, tentou assinar a petição como Adolf Hitler, o famigerado ditador alemão, mas seu comentário não foi aprovado. “Fiquei indignada, mas achei até engraçado. Porque eles estão perdendo tempo por algo que é inconstitucional. Eu vi que vários comentários foram rejeitados e tive a ideia de assinar como Hitler, mas só são aceitos comentários a favor do manifesto”, disse.
A jornalista cearense Luana Gurgel, moradora de Pompéia, na zona oeste de São Paulo, afirmou que nunca enfrentou qualquer tipo de preconceito em São Paulo por ser nordestina. “Nada, pelo contrário. Quando souberam que eu era cearense me trataram super bem. Nunca, nem de brincadeira. Nordestino aqui é conhecido pela garra, pela força”, disse Luana, que acrescentou:
O analista de sistemas Marcelo Bezerra é cearense e vive com há cinco anos em São Paulo e também diz nunca ter sido alvo de preconceito. “O máximo que se escuta é que isso ou aquilo é coisa de baiano”, afirmou.

OS PAULISTAS E O NORDESTE
POPULAÇÃO NORDESTINA QUE VIVE EM SÃO PAULO (dados de 2008).

Bahia - 1,97 milhão Pernambuco - 1,067 milhão Ceará - 519 mil Alagoas - 421 mil Paraíba - 391 mil Piauí - 272 mil Sergipe - 199 mil Maranhão - 163 mil Rio Grande do Norte - 152 mil

PAULISTAS QUE VIVEM NO NORDESTE (dados de 2008).
Postar um comentário