sábado, 3 de abril de 2010

Grupo em ação no Consulado de Cuba

25/03/2010


GRUPO POR UM BRASIL MELHOR em ação!


Chegamos perto do consulado de Cuba, na rua Cardoso de Almeida todos antes da 10.00h de hoje, e nos reunimos na esquina , há 30 metros do Consulado, para não caracterizar uma manifestação. Manifestação de NOVE mas era. Combinamos que somente 3 de nós iriam antes até o prédio para fazer a entrega do manifesto ao Consul. Para nossa surpresa, eles não passaram do portão, sendo ali mesmo dispensados , e os cubanos recusaram-se até mesmo a receber o envelope com nosso Manifesto à favor dos presos políticos de Cuba e das "Damas de Blanco".

Sendo assim, nos posicionamos pacificamente com nossa faixa, placa e cartolinas na calçada do consulado, recebendo por parte dos motoristas que passavam buzinadas de apoio, assobios, acenos...até que , por ordem do Consul, chegou a tropa de choque dos adeptos de Cuba castrista...jovens provocadores que tentaram alterar o clima de paz com palavras de ordem contra quem? Contra nós da 'zelite" que, segundo gritavam eles, deveria ser expulsa deste país. Acreditam? Eles disseram isso mesmo: que nós deveriamos ser expulsos daqui !
Isso deve ser uma idéia fixa deles ...pois já me disseram exatamente isso pela internet...Provocaram muito, tentaram criar um tumulto mas não conseguiram...nosso sangue frio é que nos salvou. Pois eis que logo em seguida chegam 3 carros de polícia (mais tarde chegou mais um) . Foram chamados pelo consulado para nos flagrar em conflito com os brucutús fidelistas e nos obrigar a sair dali, mas não encontraram tumulto algum, portanto nos recusamos a ir embora baseados no livre direito de expressão e manifestação que AINDA vigora neste país. Daí o policial nos disse que o consul nos acusava de estarmos violando uma lei internacional, a lei de Viena, que proibe manifestações diante de embaixadas e consulados. Argumentamos que a lei de Viena não pode se sobrepor à Carta Magna de um país soberano . E o exemplo nos era dado justamente pelo nosso presidente que, se fosse obediente a tratados internacionais assinados entre Nações amigas já teria despachado o Cesare Battisti há muito tempo para a Itália .

A chegada dos carros de polícia foi um tiro que o Consul deu no próprio pé, pois daí em diante os carros passavam mais devagar, prestando mais atenção, os motoristas mostravam sua simpatia se manifestando com mais energia e evidência, o que obrigou os militantes pró Cuba a quase perderem a voz se esgoelando com palavras de ordem para chamar a atenção dos mesmos...mas só recebiam acenos negativos de cabeça e o dedão virado prá baixo.

O Consul foi irredutível quando o delegado de polícia se prontificou a entregar-lhe nosso manifesto assegurando a ele que em seguida nos retiraríamos... ele não admitia recebê-lo em hipótese alguma. E assim, ficamos por ali. Policiais pediram nossos documentos , inclusive anotaram endereço e telefone. Porque? eu não sei porquê nem para quê.
Mas gostaria muito de saber qual o risco que corro de meus dados caírem nas mãos deste consul cubano ou mesmo dos militantes brasileiros à seu serviço. Fica aqui , portanto, registrado meu temor por represálias, e até se algo improvável como um balão de São João cair sobre meu telhado e colocar fogo na casa...colocarei a culpa neles sim!

Na hora que quisemos, depois de duas horas e meia de tensão...fomos embora .
Pois tudo que queriamos, que era dar visibilidade à nossa pequena manifestação, aconteceu graças ao Consul de Cuba, a quem penhoradamente agradecemos. Devo dizer também que todos os policiais, civís e militares, nos trataram com consideração e respeito.
Missão cumprida!
Postar um comentário