quarta-feira, 21 de outubro de 2009

UMA QUESTÃO DE GRAU?



(No Estadão Online, quarta-feira, 21/10/2009)
"Aloysio Nunes acusa PT de fazer campanha 'escancarada'.
'PSDB está tomando providências sobre essa antecipação de campanha que utiliza recursos públicos', disse Carolina Freitas, da Agência Estado"
Uma porta pode estar fechada, um tanto aberta, bem aberta ou escancarada. Parece que as restrições definidas pela legislação eleitoral funcionam do mesmo modo. O ministro Gilmar Mendes acha que a campanha de Dilma Rousseff (promovida por Lula e paga com o dinheiro público, desde fevereiro de 2008), é flagrantemente "aberta". Já o secretário (da Casa Civil estadual de São Paulo) Aloysio Nunes acha que ela está abusivamente "escancarada". Será que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) não se manifesta por estar estudando o grau de abertura da referida campanha? Quando será que vão achar esse "grau" o suficiente para que a lei tenha sido infringida e que são cabíveis as devidas punições? Nem Kafka ou Freud entenderiam... Por essas e outras é que somos o país do faz de conta e das leis "flexíveis" (não se aplicam ao rei e seus amigos). Sem dúvida não dá mais para negar: DeGaulle tinha razão!
Postar um comentário