sexta-feira, 16 de outubro de 2009

DESCONSTRUÇÃO A CAMINHO...



Perfeita a análise da jornalista Dora Kramer em seu artigo "Mais forte que a lei" (16/10): nestes 7 anos de mandato, vimos as instituições se deteriorando, inexoravelmente, através de aparelhamento dos poderes, conluios e compra de consciências, para não dizer chantagem por parte do Executivo, numa promiscuidade nunca antes vista neste País. Um dos últimos baluartes da segurança dos cofres públicos, o TCU (Tribunal de Contas da União), aparentemente imune à ofensiva governamental, está sendo atacado, da pior forma possível pelo presidente e asseclas, numa ação ininterrupta e coordenada, haja vista a manifestação do ex-ministro chefe da casa civil em artigo publicado no jornal mineiro O Tempo, em 11/10, convenientemente antes do "convescote-palanque" do presidente, pelas barrancas do S.Francisco, levando a tiracolo a sua Favorita para as eleições de 2010 e grande comitiva. Nesse artigo o insidioso sr. "Pingos nos is" diz que a paralisação das obras do PAC, embargadas pelo TCU, é proposição extremamente nociva, podendo gerar desemprego, disseminando, dessa forma, terror entre os trabalhadores e gerando revolta contra o órgão que é a única proteção contra a cobiça desmesurada das empreiteiras e daqueles que não têm compromisso nenhum com a boa gestão do dinheiro público. Nesse artigo o respeitável sr. sugere ainda que o TCU deva ser reformulado e aperfeiçoado (melhor seria dizer aparelhado?). Afirma, ainda, que a melhor alternativa é a aprovação, pelo Congresso Nacional do projeto de lei nº 5415/09, da deputada Sueli Vidigal (PDT-ES), que estipula prazo de 90 dias para o TCU concluir a fiscalização e o julgamento dos processos sobre supostas irregularidades em obras públicas custeadas pela União e, caso nada seja comprovado nesse prazo, a obra será retomada automaticamente. Conclui o artigo dizendo que não "podemos" permitir que o jogo político chegue à irresponsabilidade de parar o país e provocar desemprego.

A desconstrução desse órgão fiscalizador está caminhando a passos largos e descaradamente: fiquemos atentos aos próximos passos e rezemos para que o Tribunal de Contas da União não se permita contaminar.

Aparecida Dileide Gaziolla
Postar um comentário