quinta-feira, 9 de julho de 2009

Até quando Lulla continuará protegendo seus apaniguados?

Só mesmo a desfaçatez e a irresponsabilidade podem fazer com um sujeito abra a boca para afirmar publicamente, em um contato com a imprensa no exterior, que “não vê crise no Senado, apenas uma divergência entre senadores”. Aliás, diminuir a proporção dos escândalos ocorridos durante seu Governo, tem sido a principal característica de Lulla, assim como fez por ocasião do Escândalo do Mensalão, quando disse que aquela cretinice praticada por seus assessores era “coisa normal” na política brasileira, como se o fato, por não ser novidade, deixasse automaticamente de ser ilegal. Mais recentemente, quando surgiu o Escândalo das Passagens Aéreas, com deputados e senadores flagrados distribuindo passagens com parentes, amigos, aderentes e amantes, Lulla mais uma vez apelou para a velha estratégia de dizer que não via nada de anormal, inclusive tendo a cara de pau de afirmar que quando era deputado federal, também “rateava” sua quota passagens entre os apaniguados. Agora, diante da “fossa séptica” em que o Congresso foi transformado, Lulla recorreu mais uma vez ao seu tradicional “nonsense”, não só tentando fazer de Sarney um homem acima da Lei, por conta da sua trajetória política, como também, ao ver que a primeira lorota não funcionou, apelando para minimizar a questão, rotulando-a como uma mera “divergência entre senadores”. Acorda Brasil!!!

Júlio Ferreira
Postar um comentário