quinta-feira, 30 de julho de 2009

Acabou de falecer a candidatura da Coroa do Cara.

Descanse em paz.
Neil já vai tarde Ferreira.

Digito este réquiem para a Coroa do Cara ouvindo em sua homenagem “Simpathy for the Devil”, “Condolências para o Demônio”, um clássico dos Rolling Stones na gravação do “Blood Sweat and Tears”, que Mick Jagger em pessoa sempre disse ser melhor do que a gravação original da sua banda, que destruiu e reconstruiu o rock dos meados do século XX aos primeiros dez anos do século XXI.
Dá para sentir pena do Demo diante do quadro que enfrentamos no dia-a-dia da vida real, o poveretto não tem estoque de maldades suficiente nem para chegar incólume do outro lado da rua, pode ser assaltado a qualquer momento por um “brôu” (mano), perder a BMW, o Rolex, a carteira, os chifres e a maquininha de fazer fumaça fedendo a enxofre. O Demo já era.
Daí, minhas condolências para a Coroa do Cara, seja ella quem quer que tenha sido no passado, guerrilheira ou assaltante, seja ella o que quer que seja agora, com biografia e carroçaria desamassadas, a poveretta mostrou não ter estoque de maldades suficiente para sobreviver à campanha com a qual o Cara fingia que a levaria à presidência em 2010. A dirma já era.
O Cara, enganando até aos mais fiéis cangaceiros da sua cambada, jogou a pá de cal na coitada em público, na cara da imprensa que dá azia e da que não dá, com aquele sutaque e aquela sintaxe e mandou o míssil nos peitos reformados da pobrinha:
“Cumpanhera, tá nomeado us trator qui vai ti levá pro Pranarto, tá aqui us piloto da tua campanha !”
Nomeou o núcleo duro, o brain trust, o Estado Maior, um carregador para cada alça do caixão da madama, agora totalmente desenganada e com a sororoca da morte anunciada e logo em seguida ocorrida – paloffi, dirceu e zé eduardo dutra.
Não no foco central, atuante não às sombras nem em plena luz, a vitoriosa martaxa relaxa e goza, ainda condecorada com a lama do brejo em que se atolou na eleição em que Sumpólo a enkassabou com todas as honras.
Não me comovi nem um tostão com a sua (dela, dirma) Palanqueira Moléstia, curada em público no Milagre do Palanque de Manaus, quando o Cara obrou mais um dos seus costumeiros milagres para para hipnotizar a turba e decretou “A cumpanhera num tá cum nada, tá curada”.
Ao que ella, arrastando aspragata (alpercatas) no embalo forrozeiro -- não é xaxado, que segundo o Houaiss é restrito apenas aos machos da espécie -- anunciou iluminada “Sarei, só falta me tratar”, confirmando o Primeiro Enunciado da Chauí, “Quando o Cara fala o país se ilumina”.
Ao ver a súcia nomeada, senti dó da dirminha, como fala o paulinho bernardinho sinistrinho nem sei mais de qual sinistério, tantos são, mas tem a ver com grana, a nossa que virou delles, piratizada que foi há seis aninhos, que já parecem seiscentos.
paloffi, pólista, é o de cujo daquela famosa mansão do lago, da “república de Ribeirão Preto”, das festas regadas a operárias da noite fornecidas pela empresária Mary Jane Corner, Marijuana da Esquina em tradução livre e macarrônica mas fiel, daí o Cara ter-lhe dado a função de contato com o empresariado. É o indigitado autor do trambique para ferrar o caseiro Nildo, que o jogou do cargo de virtual candidato à presidência, in pectore do presiMente, à sarjeta de onde faz de conta que escapou por obra e arte do “foro privilegiado” de que dispõe.
dirceu, pólista, novo milionário, é o chefe da Quadrilha dos 40, réu no STF, Pai e Mãe do Mensalão e dos Mensaleiros, autor e mentor da corrupção mais braba nunca antes vista nesse país, estimada hoje em 30% do PIB. Afastado, nunca se afastou, manda sous la table, afirma que não faz nada que o Cara não saiba e nunca foi desmentido. Quem o esqueceu merece tê-lo de volta .
zé eduardo dutra, sergipano, mensaleiro que enfiou as mãos na fatia mais gorda do mensalão, alguns milhõezinhos de nadinha, caixinha doiszinho inocente, encarna o mais realista dos ditados americanos como definição de capitalismo selvagem, “Put your mouth where the money is”, em bom brasilês, “Onde há grana, caia de boca”.
Martaxa relaxa e goza, pólista, todos sabemos da sua lingua venenosa, você é casado ? tem filhos ? e da fama que legou ao seu equis.
O Cara mandou treis ex-trangero pólistas para carregar o caixão da gaúcha (ou mineira, que sei eu), está na cara o que o Cara quer, e é o que sempre quis, vaporizar a Coroa e ressuscitar o 3º mandato.
O fantasma do 3º mandato vem te puxar pelo pé à noite.
BYE BYE BABY.
Postar um comentário