sexta-feira, 20 de setembro de 2013

DE FAXINEIRA A CÚMPLICE

Se já não bastasse o STF dar o voto para a impunidade, o Congresso Nacional ter dois presidentes "suspeitos" e respondendo a processos e demonstrar que o que vale é o corporativismo, chegando ao cúmulo de não cassar o mandato de um dos seus que está preso., temos agora a presidente da república acuada pelo ministro dos Transportes que, suspeito de estar envolvido no crime de corrupção, se recusa a deixar o cargo e ameaça falar o que não deve se for demitido. A presidente que se elegeu prometendo fazer uma faxina, se vê agora como cúmplice. Quem salvará o Brasil?
Postar um comentário