segunda-feira, 15 de outubro de 2012

1,8% DAS PREFEITURAS TEM EXCELENTE GESTÃO

O levantamento abaixo revela que das 5.266 prefeituras, 3.442 (65%) estão com a situação fiscal difícil ou crítica e que só 95 (1,8%) estão em excelentes condições. Este estudo revelou também que só 20% dos prefeitos tem nível universitário e que grande parte só tem o nível primário. Por ai se nota que se torna necessário uma reforma politica urgente, exigindo o 2º grau completo dos candidatos a cargos públicos. O ideal seria a implantação de uma espécie de "vestibular" para o cargo a que se habilita concorrer. Gostaria de saber a opinião da ministra do STE a respeito desse assunto..... LEVANTAMENTO: O Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF-2010) – elaborado para medir a qualidade da administração financeira das cidades brasileiras – dá uma pista de que o nível de escolaridade pode, sim, influenciar a gestão municipal. O Índice identificou que, em quase 65% dos municípios brasileiros, a situação fiscal era “difícil” ou “crítica”. Das 5.266 prefeituras avaliadas, a excelência da gestão fiscal ficou restrita a 95 delas (em números absolutos), cerca de 1,8%; enquanto 1.824 prefeituras (33%) apresentaram gestão fiscal “boa”. Isso demonstra que as cidades estão longe de ter boa administração de suas finanças e padecem de problemas crônicos como baixo nível de investimentos, pequena arrecadação própria, dívidas roladas de um ano para o outro e elevados gastos com funcionários. Um dado que chama a atenção é o aumento do inchaço da máquina pública.
Postar um comentário