segunda-feira, 30 de julho de 2012

Opegapulhas em ação!

Uma rua chamada pecado Como todo paulistano de bom senso, sou frontalmente contra a cessão pela Prefeitura de São Paulo de uma área pública de 4400m2 para uma inutilidade como o instituto de um ex-presidente. Ironicamente, a rua onde essa aberração se localiza chama-se "dos Protestantes". E o prefeito e os vereadores que aprovaram pagarão nas urnas através do nosso protesto, nada religioso. Flavio Marcus Juliano Menosprezo ao celeiro Nos idos anos 60 e 70 era um orgulho frequentar uma escola pública e absorver os ensinamentos dos professores do Ginásio e do Científico. Com certeza, uma raça extinta. A constante propaganda do sucesso de quem não estudou, que tem azia ao ler, que recebe réplicas de diplomas, mais a distribuição de título de doutor a quem nem sequer se preparou para tanto, se contrapõem às " limitadas habilidades reveladas pelos estudantes que ingressam nas instituições de ensino superior do Brasil". As enormes dificuldades em acompanhar os estudos no padrão exigido pelos cursos de graduação, mostram o descaso dos governantes com a Educação- é só analisar a péssima qualidade dos últimos ocupantes do ministério -e com a preparação das novas gerações para um Brasil melhor A incompetência funcional dos responsáveis pela Pasta" dificulta a inserção desses jovens no mundo do trabalho com as competências exigidas pelo mercado". Flavio Marcus Juliano O Manchalão Já que os advogados reconheceram que uma offshore guardava uma dinheirama no paraíso fiscal de Jersey, "lícita" mas sempre negada, e já que houve um aperto de mãos tão fraterno entre os cabeças do PT e do PP, será que o produto criminoso do mensalão, igualmente sempre negado, não estaria pertinho do manchalão? Afinal, o povo brasileiro tem dinheiro seu aplicado lá fora e nem se dá conta! Flavio Marcus Juliano Pergunta geométrica (editado no Estadão.com em 20/07/2012) Após a revelação do Estadão sobre o comando de um escritório paralelo pelo filho de um sonhador com a Prefeitura de São Paulo, fica revogada a lei da Geometria que diz que "paralelos" nunca se encontram? Flavio Marcus Juliano Está bom para você? (editado no Estadão.com em 30/07/2012) Mas, para nós paulistanos, não está! Sou apartidário e não nutro simpatia por nenhum candidato à Prefeitura de São Paulo. Porém, aceitar que 26% tencionam votar em certo candidato, tá russo, mano! Flavio Marcus Juliano Ventilador (publicado no Estadão em 29/07/2012) Já sinto lamas nesse julgamento. Pena que tenha gente blindada quando ligarem o ventilador. Flavio Marcus Juliano O mata-fome (editado no Estadão.com em 27/07/2012) O Brasil vai se destacando na produção mundial de alimentos, tornando-se o mata-fome do mundo, com os paises industrializados pouco se importando em crescer sua contribuição nessa produção, pois nos mandam, em troca, seus produtos com alto valor agregado. Pena que, em paralelo, o Brasil se mostra como o velho celeiro do imundo, abastecendo, criminosa e impunemente, contas bancárias de pulhas da política nas plantações de Jersey, da Suiça e outras terras paradisíacas, com dinheiro nosso que deveria ser gasto na infraestrutura e serviços logísticos para levar a produção do campo até o porto. País rico é um país sem "podreza". Flavio Marcus Juliano O mundo nada rosa dos têxteis Desde 2009, época de bravatas e marolinhas, o industrial brasileiro não demonstrava um desânimo tão grande com a situação econômica do País e com os rumos do seu negócio. Além do mercado interno não reagir e as exportações não crescerem no ritmo desejado, o pessimismo tem que conviver com "avassaladoras importações asiáticas subsidiadas" e muitas vezes subfaturadas, através de circunvenção, com conteudo de conteineres não condizente com a documentação. É só dar uma volta pelas lojas de atacado e varejo para verificar o que os especialistas que dirigem o País sabem fazer. E não cheira nada bem! Flavio Marcus Juliano Justiça em xeque (publicado no Estadão em 26/07/2012) A corregedora Eliana Calmon apenas expressou o pensamento da vida inteligente que ainda sobrevive neste país. É tão evidente a podridão reinante desde que o mensalão foi ordenado pela "quadrilha" que um resultado inocentando-a fará a Justiça ser, sim, severamente julgada pela opinião pública. Entretanto, vamos ver de onde virá a maior pressão sobre o STF e se realmente essa Corte está acima de paixões e medos. FLAVIO MARCUS JULIANO Olimpíada da indústria O previsível agravamento da crise externa gerou uma capacidade instalada da indústria excedente no mundo, o que nos dificulta exportar. Num ambiente interno de concorrência acirrada com importados asiáticos, a Fiesp, através de seu presidente, alega que "a empresa mais competitiva do mundo, posta no Brasil, perderia imediatamente sua competitividade, devido aos altos juros, alta e complexa carga tributária, energia cara e ausência de infraestrutura". Assim, de marolinha em marolinha, de pibinho em pibinho, a industria nacional jamais subirá ao pódium, pois ainda não criaram medalha para a incompetência e a falta de visão. Flavio Marcus Juliano Tô nem aí.... (editado no Estadão.com em 28/07/2012) Enquanto a presidente e singela comitiva assistem a abertura da Olimpíada, nós ficamos assistindo ao fechamento das nossas indústrias. Cada um com suas prioridades, né? Flavio Marcus Juliano O mistério de Agosto (editado no Estadão.com em 24/07/2012) Poderia ser o julgamento do mensalão, mas o resultado será ululantemente óbvio, para frustração do povo brasileiro: a quadrilha será inocentada. Assim, resta ao rebanho se preocupar com coisas mais importantes, como se Carminha será desmascarada pela Rita. Flavio Marcus Juliano
Postar um comentário