sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

MENSAGEM A PAPAI NOEL

Papai Noel,

Eu sei que você nem se lembra mais de mim.
É recíproco, pois esqueço de você o ano inteiro.
E nem me lembraria, não fosse seus sósias ficarem aparecendo em tudo que é canto, esquina, praça.
Alguns bem feinhos e magricelas.
Todos com suas Noeletes! Essas sim, em sua maioria, valem a pena serem vistas.
Pelo menos as que aparecem na TV.
Quando eu era pequeno, só tinha rena.
Se bem que tenha quem prefira as renas.
Um bom filé de rena mataria a fome de muita gente.
Ui! Lá vem porrada da “APRenaTa” - Associação dos Protetores de Renas Natalinas, acusando-me de renofobia.
Nonoca...
Posso chamá-lo assim?
Você não existe. Se existisse mesmo, o Manto Sagrado já teria ganho a Libertadores.
É o pedido de milhares de pessoas há anos.
E nada!
Aumento de salário de aposentado, também necas de pitipiricas.
Papai Noel, pensando bem você é um saco!
Quando diminui o congestionamento de porta de escola, você cisma de aparecer e tumultuar o trânsito...
Aquele monte de carro parado vendo árvore de Natal no Ibirapuera, enfeites da Avenida Paulista, esperando vaga em porta de shopping.
A culpa é toda sua, Nonoca!
Aumentam os pedintes nos semáforos.
Aumentam os telefonemas de Associações Beneficentes.
Aumentam as filas nos supermercados
Aumenta o preço do bacalhau.
Espírito de Natal?
Pois, sim!
Mera data comercial.
Papai Noel, se manca!
Ninguém está preocupado com você.
Postar um comentário