sexta-feira, 2 de setembro de 2011

A semana d'opegapulhas

1-Muita sujeira no pote
Do alto desse "ter- roriz- mo", 347 pulhas vos contemplam. O jornalismo político abre nossos olhos aos crimes cometidos por vários políticos. E não foram poucos: mensalão, subornos, fraudes, desvios, caixa 2, improbidade, nepotismo, ONG's buracos negros criadas para benefício pessoal. Práticas que em muito lembram que está na hora do povo partir para a inteligência e não para a ignorância, como quem tenta explicar o inexplicável. A Câmara, se portando como uma reles meretriz, é que deve ser reconduzida à Era da Pedra Lascada e não o jornalismo político. É através desse que eu, como cidadão brasileiro, apartidário, tenho legitimidade para afirmar que o que está a aparecer é por demais nojento e asqueroso, para me espantar com quem não tem nada a esconder.

Flavio Marcus Juliano

2-Não sei por que.......
Ao ser questionado pela Controladoria Geral da União sobre a liberação de R$ 6,2 milhões, sem licitação, a um Sindicato que não executou o serviço pago, o ministro dos Esportes provàvelmente responderá: "Ah! se tu soubesses como eu sou tão carinhoso........."

Flavio Marcus Juliano

3-Despreparo
O Dicionário Houaiss define" Presidente: estar à testa de, dirigir, administrar". O presidente do Senado alegar que é lícito utilizar helicóptero da PM para seu lazer de fim de semana é não compreender o alcance do seu cargo; é demonstrar total despreparo, mesmo com mais de cinco décadas no ramo e ocupando o cargo pela terceira vez. Pela sua pequenez, só enxerga a fantasia de majestade e poder. Exige respeito ao seu passado, julgando-se imune a questionamentos e acima de julgamentos. Quase uma divindade no Senado, infestado de marimbondinhos caríssimos. Pega mal um vetusto senhor fazer papel tão ridículo. No ocaso da vida, melhor faria se se recolhesse a contar, sôfregamente, o dinheirinho que tão fàcilmente amealhou durante a carreira., pois não o levará a lugar algum. A moeda de troca no cemitério é outra, muito diferente. No século 18, o dramaturgo Carlo Goldoni escreveu: "Todo homem é, ao mesmo tempo, três pessoas: como vê a si mesmo, como os outros o veem e quem ele realmente é.". Conviria ao presidente do Senado refletir sobre isto e sair de cena de fininho.

Flavio Marcus Juliano

4-A maioridade da incompetência (editado no Estadão.com em 30/08/2011)
A Prefeitura de São Paulo sofre fraude recorde, com construtoras forjando pagamentos de taxas. Nos últimos 17 anos! Quer dizer que Maluf, assessores de Pitta, que já faleceu, Marta, Serra e Kassab, administrando São Paulo de 1994 para cá, nunca souberam de nada, a CGU nunca os cientificou e os prováveis R$ 100 milhões vão evaporar? Povo paulistano, quem sabe faz a hora, não espera acontecer!

Flavio Marcus Juliano

5-Têtas
"Isso aqui não é, de fato, a Roma antiga". Aqui, Rômbulo e Rêmora mamam nas têtas de uma mansa bovina que paga seus tributos e não reclama de nada.

Flavio Marcus Juliano

6-Análise tardia
Após uma década de pasmaceira, sem fatos interessantes, período no qual nenhum empreendimento sobreviveria com essa postura, a "oposição" diz que vai mudar e se superar! A crescente falta de interesse e de esperança do povo é fruto dessa decepcionante inação frente à corrupção desenfreada, à estratosférica dívida interna do país, ao desvio criminoso de dinheiro público por quem deveria zelar por êle,ao total descaso com a Educação não ensinando ou ensinando errado, ao uso odioso de recursos públicos para regalia privada, por quem deveria, pela idade e pelos cargos que ocupou, dar o exemplo. Ter consciência disso, conviver com isso e nada fazer, além de discursinhos na tribuna, faz-nos descrer que uma poderosa mudança esteja a caminho. Se o co-presidente atual apropriou-se de avanços de governos anteriores, por que se calaram? Caso não haja uma ação imediata da "poderosa mudança", só nos falta a Prefeitura de São Paulo cair em mãos despreparadas e sequiosas de novos golpes.

Flavio Marcus Juliano

7-Um dia a casa cai.......(editado no Estadão.com em 28/08/2011)
Está correto o povo pagar pelo uso de helicóptero, pela gasolina e pelo tempo de elementos da PM, fora de expediente, em dois fins de semana, só por causa do aperitivo que um certo clã foi tomar no Curupu? Irmãos do Maranhão e do Amapá, lembrem-se: Kadafi ficou 42 anos enchendo o saco, mas sua casa caiu.........

Flavio Marcus Juliano

8-Aritmética política (publicado no Estadão em 28/08/2011)
"Estamos produzindo crianças escolarizadas que são analfabetas". E o ministro da Educação ainda quer ser prefeito de São Paulo! Já que 57% dos alunos, aos 8 anos, não têm conhecimentos necessários de matemática, nossos políticos bem que poderiam dedicar seu tempo ocioso para ensiná-los o que se consegue em 8 anos. São experts em adição de benefícios para si próprios, subtração de recursos públicos, multiplicação de bens particulares e divisão de cargos para familiares e amigos. Vamos ver com quantos caras de pau se faz uma tabuada!

Flavio Marcus Juliano

9-Clássicos impopulares
Depois do estrondoso sucesso de bilheteria (deles!) da ópera Os Pescadores de Verbas, patrocinada pelo Ministério da Pesca, vem aí mais um campeão: Os Contos de Hoffmann. Adquira já seu ingresso em qualquer ONG de sua desconfiança, antes que a Barcarolle afunde.

Flavio Marcus Juliano

10 - Pesca mortal
A gestão anterior do Ministério da Pesca lutou para salvar tubarõezinhos denunciados por irregularidades, espécie voraz muito longe da extinção em Santa Catarina e no Brasil. A "verbafilia" da espécie é para deixar qualquer pessoa de relações mal intencionais, apavorada! Dona Dilma tem que mandar faxinar o convés, antes que la nave va afundando. DNIT ou DMIT!

Flavio Marcus Juliano

11-Um estranho no paraíso(editado no Estadão.com em 27/08/2011)
.Andando a pé pelas ruas de São Paulo, estou pasmo, atônito, surpreso! Os carros param para que eu atravesse em segurança! Admirável mundo novo! Será que o povo brasileiro atingiu um novo patamar de educação e conscientização cidadã? Quantos degraus será que ainda faltam para exigir um julgamento honesto do mensalão, uma total e inteligente reflexão antes de votar nesses idiotas que estão escandalizando a política brasileira, metendo a mão no nosso dinheiro?

Flavio Marcus Juliano

12-Radiografia da corrupção (editado no Estadão.com em 26/08/2011)
Como leitor e missivista do Estadão, quero parabenizar o Prof. Carlos Alberto Di Franco pelo excelente texto publicado em 22/08/11.
Embora a corrupção seja um mal mundial (e uma característica da raça humana) e que encontra no Brasil um terreno fértil para se desenvolver, o nível absurdo atingido nos últimos oito anos e meio de govêrno petista é para nos deixar aturdidos. A impunidade ,que garante aos comandantes do País a certeza de cada vez mais enriquecerem às custas do dinheiro público, é o nosso grande problema.

Bem abaixo do seu belo texto, há uma crescente seção - Fórum dos Leitores - riquíssima de opiniões, que, diàriamente, demonstra quantas pessoas bem intencionadas gostariam de ver uma mudança radical nesse estado crítico, lamentável e deplorável da nossa sórdida classe política.

A coligação "pragmática e aética que foi concebida pelo antecessor " da atual presidente, e seus asseclas ,continua dando as cartas na atual administração, cujos escalões são preenchidos pelo crime organizado.
A enxurrada de demissões é apenas um jogo de cena, pois as môscas varejeiras apenas mudam de pôsto. Desaparecem aqui, aparecem acolá, sem que uma enxurrada de punições promova uma faxina ética e honesta."Submergem estratègicamente, caem no esquecimento e voltam para roubar mais".
Quem não consegue uma vaga no Senado ou no Govêrno Estadual, logo é premiado com um Ministério. Os cargos são criados para determinadas pessoas e nunca, jamais, escolhe-se pessoas talhadas, preparadas, instruídas para os cargos. É assim com Ciência e Tecnologia, com Defesa, com Transportes, com Turismo, com Agricultura, com Pesca, com Cultura e, pasme, com Educação!

A política é a arte da negociação mas não pode ser a ferramenta da bandidagem. Quando grandes juristas e o Executivo acham que meliantes, ladrões do dinheiro público apareçam algemados ao povo, seja "inadmissível", "escracho", mostram, claramente, qual é o tipo de ética que perseguem.

Como missivistas do Estadão- eu mesmo me manifestando através de três ou quatro cartas diárias- cansamos de pressionar autoridades do STF, através de cartas, telegramas, petições públicas. Não vemos sucesso em "desinstalar a rede criminosa do coração do Estado brasileiro". O lobby do crime organizado é muito mais eficiente que nós, que executamos um trabalho de Sísifo.

Caso o Sr. analise as cartas do Fórum, verá que os leitores não atiram a êsmo. Concentramos, pressionamos e criticamos. Mordemos e não soltamos.Inclusive, incomodamos.
Tempos atrás sugeri ao Estadão que se criasse um Impostormetro, para que o povo saiba e acompanhe de forma didática, quanto dinheiro foi surrupiado do seu bolso e por quem. Se temos um Impostômetro, que nos avisa quanto entra, por que não sabemos quanto se perde?
Quanto ao movimento nas ruas, numa "magnífica balada da cidadania" , sou completamente cético. A classe média, mais informada e educada, é omissa. Ainda mais desprovida de apoio de qualquer tipo decente e honesto de oposição,a qual simplesmente segue ao "se não pode com o inimigo, adere". As massas miseráveis, totalmente reféns do populismo interesseiro e da desinformação jamais sairiam da sua "cômoda" situação do Bolsa-Família, para ouvir o que a classe média teria a dizer, caso esta se propusesse a falar.

Flavio Marcus Juliano

13-Os descamisados (publicado no Diario de São Paulo em 26/08/2011)
O preso tem o direito de ser tratado com dignidade. O dinheiro público também.
São milhões daqui, milhões dali e nada é recuperado desse imprestável espetáculo?
Ser fotografado sem camisa, segurando a placa com o nome é o podium para quem mete a mão na cumbuca do nosso dinheiro.

Flavio Marcus Juliano

14-Nóis num qué.........(editado no Estadão.com em 25/08/2011)
O ministro da Educação não trabalha com a hipótese da desistência da ex-prefeita para concorrer à Prefeitura de São Paulo em 2012. Os eleitores paulistanos, porém, trabalham com a certeza de que nenhum dos dois é aceitável e preparado para tão importante cargo. ENEM venham insistir!

Flavio Marcus Juliano

15-Sequencial a gosto
24/08/54: suicídio de Vargas; 25/08/61:renúncia de Janio; 26/08/11: suicídio da corrupção política, queda da censura ao Estadão ou renúncia do povo brasileiro em continuar elegendo sempre os mesmos vigaristas para o Senado, Câmara,etc? Alguma coisa temos que comemorar nesta sexta-feira, nem que seja o silêncio eterno - por 25 anos, ao menos - de certos medíocres sigilosos.

Flavio Marcus Juliano

16-Antecedentes perigosos (editado no Estadão.com em 24/08/2011)
O ministro do "Furismo" , uma vez que há tantos furos nos gastos fraudados do Turismo, abriu o bico alegando que as fraudes foram originadas em administrações anteriores. E o Brasil e o mundo sabem as pessoas e partido que estavam à testa do negocião. A cidade de São Paulo não pode, não deve e não deseja ,sequer ouvir falar, que sua administração possa cair nas mãos de um partido que leva o dinheiro público a passear por paraísos distantes e desconhecidos da maioria dos eleitores.

Flavio Marcus Juliano

17-Porteira quebrada
Depois que o mercado brasileiro está inundado de cobertores, jogos de cama , tapetes e outros produtos têxteis internados via terceiros paises, por triangulação, o governo tardia, mas oportunamente "apreensivo", resolveu consertar a porteira quebrada. Quem sabe o burro que fugiu, carregado de tributos, volte arrependido das autoridades alfandegárias, fiscais e a Fiesp nem terem percebido sua travessura.

Flavio Marcus Juliano

18-A ficha não cai
Quem nunca usou trator para arrumar a cidade de São Paulo, acabou sendo tratorada pelo chefe e triturada pela opinião pública. O chefe quer, respeitosamente, sutil como um elefante numa loja de cristais, "discurso novo" e "proposta inovadora", pois os métodos antigos e surrados de dominar o orçamento da cidade, já ficaram muito manjados.

Flavio Marcus Juliano

19-Impotência?
Será que a Prefeitura de Campinas consegue se erguer com Vilagra?

Flavio Marcus Juliano

20-Partido único
A presidente, ao promover corte de gastos, preserva as pastas do PT e está judiando demais dos ministros de partidos da base aliada, tadinhos! Pelo andar da carruagem, já que líderança do PSDB deseja incentivar o fim da oposição, é bem capaz de FHC virar ministro deste governo. Seria criado então o Partido Único dos Trabalhadores, Apaniguados, Recompensados,Inocentados,Acobertados. A sigla pode não ficar muito simpática.

Flavio Marcus Juliano

21-Cada....falso!
O Min. do Turismo, fermentando, libera R$ 1mi a empreiteira fantasma, para a construção de ponte em Barra do Corda. Claro, como sempre, no Maranhão! A corda da cidade deveria servir para pendurar certos políticos pelo pescoço........

Flavio Marcus Juliano

22-Carimbaço
Dirigentes de um certo partido temem que o "expurgo" em andamento no governo, acabe carimbando o governo anterior de corrupto, como se isso já não fosse óbvio. Uma vez que o continuismo não pode ser ocultado, é mais correto confessar que a corrupção ficou tão exacerbada ,que alguns ministros, simplesmente, perderam o controle. Alguma grande corporação colocaria em cargos-chave um confesso "aprendiz" ? Ou o correto seria escolher um profissional talhado para o cargo?

Flavio Marcus Juliano

23-Última vez
Pela última vez, para não mais tocar nesse assunto. A presidente não será candidata em 2014, para dar lugar a quem vai passar quatro anos fingindo que desencarnou do cargo.

Flavio Marcus Juliano

24-Realidade brasileira
“Quando você perceber que, para produzir, precisa obter a autorização de quem não produz nada; quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores; quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno e por influência, mais que pelo trabalho, e que as leis não nos protegem deles, mas, pelo contrário, são eles que estão protegidos de você; quando perceber que a corrupção é recompensada, e a honestidade se converte em auto-sacrifício; então poderá afirmar, sem temor de errar, que sua sociedade está condenada”. Ayn Rand, filósofa judia russo-americana nos anos 20, que bem poderia estar descrevendo a realidade brasileira de hoje.
Flavio Marcus Juliano

25-Cada vez pior
Dezesseis anos atrás, VEJA publicou entrevista com o físico Alberto Santoro (Amarelas, 19 de julho de 1995), que resumiu com precisão: "O Brasil não está acostumado a remunerar quem trabalha. Desgraçadamente, só os espertos são compensados. Esperteza quer dizer também safadeza. É muito difícil criar filhos numa cultura assim. Tenho uma dificuldade enorme para explicar isso a eles". Com os frequentes escândalos, nesses oito anos e meio de govêrno, levantados sempre pela imprensa, o cenário piorou mais ainda. Frente a tanta impunidade pelos crimes com o dinheiro público, até quando o povo ficará quieto e omisso?

Flavio Marcus Juliano

26-Brochou?
Como os pais, que têm dinheiro aplicado na Bovespa, podem ter um feliz Dia dos Pais, se o pregão não sobe?

Flavio Marcus Juliano

27-Sorria, você está sendo fichado!
Mas que caras mais compenetradas! Cara de quem achou que acertou o começo e "erroll o flim". Em que será que estão pensando na foto? Que os chefes deveriam estar lá também? Se eles fazem essa sujeira nos ministérios, imagine se conseguem a Prefeitura de São Paulo, não é mesmo, caro e inteligente eleitor?

Flavio Marcus Juliano
Postar um comentário