sábado, 4 de dezembro de 2010

S. quase ex-excelência e os 7 pecados capitais

S. quase ex - excelência e os 7 pecados capitais



Somente Freud (o austríaco) poderia explicar o quase ex-presidente na autolouvação despudorada durante discurso perante o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social e as suas (dele) verdades proferidas. Somente uma pessoa insegura de seus valores (e talvez com consciência de sua incapacidade gerencial) é que precisa de autolouvação.

Mas devemos compreender: quem sempre optou pelo quanto pior, melhor durante os 20 e tantos anos de oposição, não pode admitir que alguém tenha sido bem sucedido na condução da política ecônomica, que trouxe estabilidade ao país, nos anos 90 e propiciou "céu de brigadeiro" a partir de 2003, o que permitiu que elle administrasse a 'marolinha', entre fins de 2008 e começo de 2009.
Para pessoas que padecem de INVEJA crônica, caracterizada pela incapacidade de admirar o trabalho dos outros; PREGUIÇA de trabalhar com afinco, de aprender (lembram da famosa frase 'não precisei de faculdade para chegar à presidência' ou a aversão, declarada, pela leitura?); a SOBERBA (ORGULHO) de sempre se achar melhor que os outros; a GULA (no sentido figurado) é a voracidade (pelo poder), e cuja característica é engolir e não digerir (as críticas recebidas) daí se entende a IRA regurgitada contra com qualquer pessoa que tenha a 'ousadia' de contrariá-las, especialmente a imprensa investigativa disseminadora dos malfeitos do (des)governo; quanto à LUXURIA, além da conotação sexual, é definida como impulsividade desenfreada, prazer pelo excesso, donde se observa a megalomania sempre presente, em certas comparações com algumas das grandes figuras da História (as positivas), ou até com Cristo; e por fim a AVAREZA que se define como estar excessivamente apegado a alguma coisa levando a um grande medo de faltar, uma percepção de escassez, no caso de S. quase ex-Exª., é a percepção de que daqui para a frente os holofotes estarão voltados para outra personagem, mesmo que criada por ele e da qual será a sombra, haja vista as nomeações da futura presidente, obedecendo às 'sugestões' de seu criador, embora este tenha jurado de pés juntos não interferir.

É ou não é um caso para a psiquiatria?
Postar um comentário