terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Farra geral

Escrito em 09/12/2010


Não ignorando que a política brasileira nunca foi um universo habitado por criaturas angelicais, pode-se afirmar com certeza que - mesmo antes do PT chegar ao poder - este governo foi uma farra só: estreou a "bagunça" na prefeitura petista de Santo André com a cobrança de propina para engordar o caixa da campanha de Lula à presidência, e com o desfecho que todos sabem, menos ele ; depois, já instalado em Brasília, veio o mensalão que Lula alega não ter passado de "uma farsa" ; vieram os dossiês de aloprados e suas malas de dinheiro que até hoje ninguem explicou de onde vieram nem que fim levaram; veio a descoberta dos atos secretos secretos de Sarney que também não deu em nada porque , segundo Lula, Sarney tem direito a tratamento preferencial porque não é um "cidadão comum". Veio a farra das passagens aéreas para políticos, e veio isso , e veio aquilo...até que agora, no apagar das luzes da gestão Lula-Solo, o TCU aponta um esquema de emendas no Congresso que direcionou R$ 798,8 milhões a entidades de fachada para "promoção de turismo e eventos" em 2010 (ano de campanha eleitoral) .

Ora...a CGU alegar que a realização de eventos festivos e turísticos com recursos de emendas parlamentares é bastante vulnerável e fértil em problemas" não abarca toda a questão, pois possibilidade de fraudes sempre existem por mais que o sistema seja seguro. O problema no Brasil é que as instituições são lotadas e os ministérios formados por apadrinhados cuja maior competência para exercer o cargo é ser "peixinho" do governo e impunemente mamar nas suas tetas; não bastasse isso, novos aventureiros são atraídos para o exercício da política , já que isso lhes permite um salto "social" , uma rápida garantia patrimonial para o futuro e melhor que tudo, sempre sob as asas protetoras da lei ...são inatingíveis enquanto estiverem exercendo um cargo...

Portanto, para combater a fraude pandêmica, há que , primeiro, mudar a lei eleitoral para que ela possa servir de filtro na indicação de políticos; há que preencher cargos institucionais atraves da meritocracia, buscando profissionais competentes ; há que priorizar o retorno de valores que norteiem a sociedade como um todo, pois essa farra geral que há anos assistimos é só a comprovação visível da esbórnia moral que está sendo implantada, e que certamente vai fazer sucumbir a Nação brasileira.
Postar um comentário