quinta-feira, 7 de outubro de 2010

MARINA E A DEMOCRACIA

Passada a eleição muito se fala no Verde. Na busca do apoio de Marina.
Sinceramente, acho que se acendeu foi o sinal amarelo.
A coisa pode ficar preta.
Os vermelhinhos conseguiram maioria no Senado e na Câmara. E não adianta ficar Tiririca.
Enganaram melhor e ganharam.
Só isso!
O Braziu está mais “varemnós” que nunca.
Que o povo aprenda com lições recentes dos amigos do Rei Metalúrgico.
Tivemos a farsa do golpe equatoriano.
Queria ver o Correa de peito aberto em morro do Rio e favelas de S.Paulo, gritando atirem em mim.
Não é desejar mal, mas teria seu lado bom.
Estaríamos livres de um falso socialista.
O chavismo depois de instalar a pobreza cubana na Venezuela, só não despencou, pela ação do governo que deformou a votação. A oposição foi mais votada e perdeu!
Já vimos isso em tempos de ditadura militar. Senadores biônicos e eleições indiretas.
O Brasil não pode seguir estes exemplos de socialismo barato de republiquetas nanicas.
E corre este risco.
Marina tem um momento ímpar de mostrar de que lado joga.
Se pensa no Brasil ou é apenas “Mulher Melancia” – verde por fora e vermelhinha por dentro.
É a democracia que está em jogo.
Postar um comentário