sábado, 6 de março de 2010

Devolução do canhão- uma desconstrução histórica

o6/03/2010



A campanha de ideólogos marxistas contra a vitória do Brasil sobre o Paraguai no séc. XIX é praticada inclusive nos livros e bancos escolares , e deveria ser motivo de um processo movido pelo povo contra o governo Lula por crime de lesa pátria !

Omitem que Francisco Solano Lopes pretendia se apossar de parte do território paranaense afim de que o Paraguai tivesse um porto marítimo na costa atlântica. Na visão deles, D. Pedro II deveria entregar solo brasileiro de forma pacífica e “cordeiral” ao governante paraguaio?

Passam também a imagem do Brasil como sendo um país imperialista e genocida pela sua brava atuação nesta guerra , quando foi Lopes que - qual um alucinado para não se render - convocou até a população infantil para pegar em armas. Ele foi autor do genocídio de seu próprio povo...ou será que só eu penso assim?

Me admira ler agora as palavras do general Gilberto Barbosa de Figueiredo, presidente do Clube Militar sobre a devolução ao país vizinho de um canhão , troféu da Guerra do Paraguai: “normalmente não se devolve troféu de guerra, mas o povo paraguaio merece. É um ato de grandeza”. Merece porquê, posso saber ? Essa devolução é uma forma de obrigar o Brasil a admitir culpas que não lhe cabem...é a desconstrução histórica de uma página que só nos honra.

Caxias deve estar se virando no túmulo!
Postar um comentário