sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Quem pariu o MST que o embale


13/10/2009


O MST, movimento propositadamente criado sem identidade jurídica não só para não assumir responsabilidades pelos seus atos, mas também para dificultar investigação em seu caixa, acaba de produzir cenas de vandalismo veiculadas pelas TVs que chocaram todo o país. Uma das fazenda dos Cutrale teve 7000 pés de laranja derrubados por trator...maquinários foram destruidos, casa de colonos depredadas e assaltadas...cerca de 3 milhões de reais em prejuízo.
Lula demorou 4 dias para fazer uma declaração condenando os atos desta malta de vândalos. Ponderou muito...
Mas e daí ? Quero saber é quem vai pagar pelos danos já que o MST não tem nem conta corrente...

Bom, creio que o ônus deve caber àqueles que aprovam as ações do movimento, e tanto as aprovam que as avalizam ao financiarem o MST, ou seja, o governo Lula através de verbas públicas (leia-se dinheiro do contribuinte) que são repassadas a diferentes entidades que as direcionam ao MST; e também diversas Ongs estrangeiras que deveriam empregar melhor seu dinheiro para amenizar , por exemplo, a fome dos africanos.

As entidades com personalidade jurídica que fazem a parte legal de receber e repassar esses recursos são:
ANCA - Associação Nacional de Cooperação Agrícola;
CONCRAB - Confederação das Cooperativas da Reforma Agrária;
ITERRA - Instituto técnico de Capacitação , Pesquisa e Reforma Agrária;
Ao que parece as sedes são todas em São Paulo. E o dinheiro para o MLST, aquele do amigo do Lulla que invadiu e quebrou o Congresso vem da ANARA.
ANARA - Associação Nacional de Apoio à Reforma Agrária.

Portanto, quando e se a Justiça um dia resolver-se a determinar que o MST pague indenização aos fazendeiros que tiveram sua propriedades invadidas e depredadas, que a conta seja enviada diretamente a essas entidades fartamente conhecidas que emprestam seu status jurídico e suas contas bancárias a esse movimento de bandoleiros.
Afinal, quem pariu Mateus que o balance!
Postar um comentário