quinta-feira, 15 de outubro de 2009

CPMF



O digníssimo ministro da Saúde, José Gomes Temporão voltou a defender a ressurreição da famigerada CPMF, agora travestida de CSS (Contribuição Social para a Saúde ou Contribuição Social para os Sacripantas?!), afirmando que a contribuição será fundamental para tornar viável a manutenção do SUS (Sistema Único de Saúde) e que 'essa é uma escolha da sociedade: tornar viável o SUS ou permitir um novo apartheid social entre os que têm dinheiro para comprar a saúde no mercado e os que dependem da medicina pública', fazendo o jogo falacioso de 'pobres contra ricos', como costuma o governo.
Afirmou, ainda, que a CSS não é o único caminho para angariar recursos, mas frisou que até o momento não foi apresentada uma 'proposta milagrosa', seja lá o que isso signifique para o distinto ministro.
As perguntas que nos ocorrem: 1) então, o presidente mentiu quando afirmou, há algum tempo, que a Saúde estava beirando a perfeição? 2) Se a CSS não é o único caminho para angariar recursos, não seria o caso de administrar com mais competência os recursos, sem desviá-los para cuecas, mensalão, salários de funcionários fantasmas --ou parentes contratados por amigos que devem favores (senador Cafeteira contratando parentes do outrora inimigo Sarney)-- e tantas outras 'maracutaias' envolvendo os nobres e incomuns? Seria a exigência de transparência e correição no uso do dinheiro público para a Saúde uma proposta milagrosa?"
APARECIDA DILEIDE GAZIOLLA
Publicado no Painel do Leitor, online, Folha de S.Paulo 15/10/2009
Postar um comentário