segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Bufunfeiros?!




Chegou às minhas mãos artigo publicado em 17/10/2009, no Jornal O Globo, do Rio: artigo ofensivo tanto a paulistas de nascença e de coração oriundos de todos os estados brasileiros(ali retratados) quanto a cariocas, pois colocou palavras na boca de cariocas que, com toda a certeza, jamais as usariam. É bem verdade que tal artigo se deveu a comparações feitas entre membros (paulistas e cariocas) da família do autor, no casamento de sua irmã, celebrado em Berlim, no sábado anterior.

Vamos a algumas das frases:

- O que define o espírito do carioca em comparação, digamos, com o de São Paulo? Leveza, em primeiro lugar. Depois, um certo senso de humor, uma certa vibração, um espírito mais crítico e irônico – em suma, um refinamento que confere ao carioca uma superioridade natural.

- Fora do âmbito estritamente financeiro, o integrante da turma da bufunfa e, em geral, uma triste figura, incapaz de um pensamento próprio, de uma reflexão independente – principalmente o paulista.

- Por exemplo, sobre a afirmação de Lula de que gostaria de ser o presidente da Petrobrás num possível futuro governo Dilma, um bufunfeiro observou, impávido, que isso era rigorsamente inviável, uma vez que o presidente da República "não sabe ler um balanço". Só um bufunfeiro, e paulista, seria capaz de uma enormidade dessas. 

Quem lê essas frases há de concluir, acertadamente, que se trata de pessoa extremamente preconceituosa (passível de processo), petulante e principalmente ignorante, pois parece desconhecer que S.Paulo contribui com 40% da arrecadação federal e portanto praticamente carrega o país, e seu governo perdulário, nas costas! Será que o "bufunfeiro paulista" estaria errado ao afirmar que o presidente "não sabe ler um balanço? Mas não foi o próprio presidente quem afirmou que leitura dá preguiça... imagine-se os dados de um balanço?!...

Quem seria o autor de tal artigo?

Nada mais, nada menos do que Paulo Nogueira Batista Jr - economista e diretor-executivo pelo Brasil e mais oito países no FMI. Companheiro do ministro Guido Mantega na Fundação Getúlio Vargas, onde ambos eram professores e indicado pessoalmente pelo ministro para ocupar o cargo junto ao FMI. Portanto ambos "bufunfeiros". E parece que cuspiu e ainda cospe no prato que come (40% de seus vencimentos são de origem paulista!)

Pois é: mais um indivíduo que está numa posição de destaque, mas parece não conhecer e tampouco respeitar a liturgia do cargo como tantos outros companheiros: a ex-ministra do Turismo, com seu "relaxa e goza"; aquele que ficou conhecido como "Top-Top" Garcia; o Ministro Mantega, quando afirmou que os problemas da aviação em 2007/2008 se deviam ao bom desempenho da economia; e o próprio presidente em inúmeras ocasiões - este o campeão da falta de compostura e "bufunfeiro" por opção.

Aparecida Dileide Gaziolla
Postar um comentário