sábado, 6 de junho de 2009

Greve na USP e o "não à incompetência"

Neil inguinoranti Ferreira.

A coisa tá afradescendenta. Brasil, país sem futuro. Kit pt. A armação lullista para a destruição das universidades públicas defende 60% das vagas para cotistas, as entidades negras exigem 80%. O risco de que a aprovação por competência caia a 40%, ou a apenas 20% , é iminente.
Os capas-pretas do STF arreganham os dentes em defesa da sociedade que os alimenta e dão liminar que pode levar a um basta, mas papai noel não existe.
Brasil, país sem futuro. Kit pt. Vestibular de Física na Ufrj, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Em 20 pontos possíveis, um neguinho branquelo não cotista fez 14, 70% de acerto, resultado “muito bom”. Foi preterido por um neguinho-neguinho cotista, que fez Meio Ponto, 0,25% de acerto, resultado “péssimo”.
Ninguém abre o bico sobre a melhoria dos ensinos fundamental e médio, que colocariam todos em pé de igualdade diante dos vestibulares.
Brasil, país sem futuro. Kit pt. Recebi um panfleto do Sintusp, Sindicato dos Trabalhadores da Usp, filiado à Conlutas, braço da Cut, braço do pt.
O Cara e o “nosso” delúbio são criadores dessa chocadeira, cevados na grana do Fat, Fundo de Amparo ao Trabalhalhador, embolsada pelo “nosso” delúbio, como denunciou Cezinha Benjamin, ex-alto clero do pt e por isso mesmo, a denúncia, defenestrado do sínodo cardinalício delles.
A Usp, Universidade de São Paulo, é a mais importante do país e está entre as 50 melhores do mundo. Acompanhei com orgulho meus dois filhos conquistarem formação, preparo, cultura, maturidade e cidadania nessa alma mater de qualidade única no Brasil.
Num país em que a Educação é relegada ao quinto plano, a Usp, em constante superação, atravessa os anos na busca da excelência e da pluralidade, com Mestres de todos os matizes do pensamento dedicando suas vidas à cultura, ensino e crescimento dos alunos.
Incontáveis ex-alunos participaram ativamente da nossa história, muitos ajudaram a escrevê-la, alguns modificaram-na.
O que me espanta é como a Usp, administrada por cérebros brilhantes, tenha admitido e seja refém de servidores tão contrários aos seus objetivos. É como se os empregados de uma empresa privada, a Vale por exemplo, quisessem destruí-la. Querem destruir a Usp e pelo andar da carruagem, conseguirão.
O objetivo da Usp é buscar a excelência no grau mais elevado, o avesso do que busca o Sintusp e o panfleto a que me referi demonstra isso. Em letras enormes, “Marcar a Greve Paralisação e Assembléia 11h na História”. Nada a discutir sobre o exercício dos direitos dos trabalhadores, de livre associação e greve, que a Constituição “Cidadã” de 1988 não regulamentou, cada qual faz o que lhe dá na veneta, sem limites.
Exigem “ Readmissão do Brandão”, desordeiro que numa das suas costumeiras ações violentas contra a Usp, sua empregadora, invadiu salas, quebrou portas, computadores e material de aulas. Deu um enorme prejuízo a todos nós porque a grana da Usp é pouca e pública, é nossa. O que ele quebrou foi reparado, nem elle nem o sindicato pagaram nem pagarão. Demitido por justa causa, o sindicato coloca como primeira exigência dessa greve a readmissão do Perigoso Hulk, vermelho pt.
Continuando, “Contra os ataques da Reitoria”. A Reitoria, inerme, não é atacada, invadida, depredada. Agressiva, ataca. Daí, outro objetivo é exigir que a Reitoria não ataque os sindicalistas, pobres vítimas da entidade imóvel, composta por paredes, portas, janelas, pisos, banheiros, móveis, estantes e livros, mas cheia de armadilhas, de convívio arriscado.
O carro de som percorre as quietas ruas da Usp, volume no máximo, nenhum respeito às aulas e a palavra de (des)ordem “Cumpanherada, si pricisá invadi a reitoria, nóis invade di novo”. Invadiram, acamparam lá.
Disfarçada no palavrório, a jóia desse tesouro, o verdadeiro objetivo, a ameaça à qualidade, “Não à Gestão por Competência”. Desnudam-se. Sonho dos que buscam posição pelo QI, Quem Indicou, que trazem como currículos e provas de títulos a carteirinha do pt, paraíso dos sindicalistas de uma classe operária às portas do paraíso da estabilidade e aposentadoria integral, sem que para isso lhes seja exigida nenhuma competência.
Luta-se nessa greve pela negação do objetivo da empregadora, a Usp, formadora da competência. O sindicato tem motivos vindos de cima.
Olhe-se para a Presidência da República e confirme-se. Temos lá um sindicalista que não provou nenhuma competência para chegar lulla-lá. Apólogo da incompetência e da inguinoranssa, fica lulla-lá oito anos intermináveis. Nega de pés juntos, mas quer mais.
Para quê torrar verbas com provedores de competência ? Tanto que o sindicalista que lá está prometeu que (se sair) irá a um cartório registrar o que obrou, jura que muito mais do que o antecessor, FHC, formado e depois formador, ex-professor da mesma Usp. Para “desconstruir” FHC, “descontrua-se” a Usp também, dano colateral sem importância.
O Sintusp é um ninho de saúvas. Como ensina a vox populi vox Dei “Ou o Brasil acaba com a saúva, ou a saúva acaba com o Brasil”.
SERRA NELLES !
Postar um comentário