quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

MEMBROS DO MST: TRABALHADORES SEM TERRA OU GUERRILHEIROS?

Eu só queria ver se fosse o contrário! Um bando de guerrilheiros do MST mataram quatro seguranças de uma fazenda situada em São Joaquim do Monte, no Agreste de Pernambuco, e o caso é tratado de forma amena pela imprensa brasileira. Qual seria a repercussão para esse mesmo episódio se os mortos fossem alguns “pobrezinhos” dos membros do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra? A essa altura do campeonato, seguramente a região já estaria infestada de políticos e burocratas do governo, uns mais parasitas que os outros, prestando irrestrita solidariedade às vítimas e exigindo severas punições para os assassinos e mandantes. O que agora vemos são matérias tentando justificar o crime, sob a alegação de que os mortos estariam armados. E daí? Em Eldorado dos Carajás colonos também estavam armados e mesmo assim a ação da Polícia Militar foi imediatamente condenada pela imprensa e pela opinião pública. Vamos deixar de hipocrisia barata e tratar o caso de forma minimamente honesta. Ou será que os quatro trabalhadores mortos, que provavelmente também não são donos de terra, por não estarem filiados ao MST, devem ser considerados cidadãos de segunda categoria?

Júlio Ferreira
Recife - PE
Postar um comentário