quinta-feira, 27 de novembro de 2008

A força de Paulinho da farsa sindical

Afinal, como que um politico/sindicalista, investigado pelo Conselho de Ética por desvio de recurso e fraude em empréstimos no BNDES - sendo que, entre outras mazelas, a ONG Meu Guri, por ele fundada e comandada por sua mulher recebeu a bagatela de R$1,2 milhão do próprio banco e cuja aplicação não consegue ser minimamente explicada- pode receber tantos afagos do presidente Lula? Justo no dia em o Conselho de Ética pedia sua cassação, Paulinho , ausente , participava de uma festividade em Palácio. Não bastando isso, à noite compareceu como convidado a um jantar com Lula !

A conclusão que se chega é que a força de Paulinho para que sua cassação não chegue à termo lhe advém do próprio presidente. Lula manda uma mensagem inequivoca aos deputados: nesse ninguém mexe, ele é dos meus.

Assim, mais uma vez assistimos a prática da máxima lulo-petista que reza: Aos amigos tudo! Aos inimigos a lei...E fica aqui o registro de que a impunidade com afronta é a marca deste governo.
Postar um comentário