domingo, 26 de dezembro de 2010

Azáfama final. Por Marli Gonçalves



Minha paixão por palavras inclui essa: azáfama. Linda, louca, sonora, rápida, e que eu acredito que também é translúcida. Nada melhor do que ela para definir os últimos dias pelos quais estamos passando, querendo descansar e atropelados.


Felizes, mas angustiados com as incertezas. Cheios de amor para dar, e com saco cheio. Dias superfamília, e enchendo o pé de jaca com tomate pisado. Pensando muito, até demais, em quem não tem que pensar, mas ao mesmo tempo sendo lembrado por inacreditáveis pessoas que você mesmo nem pode acreditar. Esses últimos dias de todos os anos são mesmo de lascar! Nervos à flor da pele a La TPM e outras letrinhas, dinheiro saindo de baldinho, gentilezas obrigatórias à parte, eventos e ventos, providências e programações, tudo ao mesmo tempo agora. Não é uma azáfama?

Aí descubro que azáfama é, ainda, um verbo, com todas as conjugações que tem de direito, azafamando no gerúndio; azafamado, no Particípio. Eu azafamo, eu azafamei, eu azafamava, eu azafamara, eu azafamarei, eu azafamaria. Que eu azafame! Se eu azafamasse... Azafama tu.

Ufa!Afã. Não te faz lembrar as filas e as atividades que enfrentou? Um só eu fazendo muitas coisas. Assim, acho que é isso, uma atividade intensa. Uma pressa, uma urgência, afã. Ufa!

Calma, está passando. Do meu ponto de observação, vejo que nas ruas a calmaria pode ser sentida. Já aparecem até as primeiras ofertas e liquidas, off-off, queimas, vem-cá-meu-bem. Ah! E na vitrines, surpresa! Tudo já está aquele branco, angelical.

Todos os dias os jornais mostram a situação das praias. Pergunto: para que mostrar? Para dar água na boca de quem não está lá? Mostram também a neve na Europa. A mesma coisa: a gente aqui na cidade morrendo de calor, suando até pelas beiradas, e de repente aquele frio entra pela casa, baixa a sensação térmica, mas de querer um gelinho daqueles! Os floquinhos serelepes caindo, aquelas bochechas vermelhas sorrindo...

Atchimmm!

Espera aí. Não vê que ainda estou procurando e tentando achar algum coisa boa nisso, nesse período de entressafra de vida do ano, para citar? E prometo não fazer aquela barbeiragem de dizer que "a cidade fica ótima sem ninguém". Fica não. Fica não; fica é muito da sem graça. Seja ela qual cidade for.

A verdade verdadeira é que a tudo a gente se adapta. Só neste último ano sobrevivemos à Copa, às eleições, ao Morro do Alemão, algumas das muitas situações que deslocam nossos cotidianos, ao mesmo tempo, a cada dia menos programáveis. Pode faltar luz - e tudo hoje depende dela - até os trequetreques modernos uma hora precisam ser carregados. Pode chover muito e te ilhar. Pode haver um tiroteio, e você precisará é se proteger. Pior: pode faltar luz, chover e você cair no meio de um bang-bang.

Como sempre, estamos cercados de perigos e probabilidades, de um lado e de outro, igual canoas cambaleantes. Mas tudo isso pouco importa, o Carnaval está aí, e logo depois, a Páscoa. Nós correremos nossas maratonas individuais.

O ano nem está aí, mas daqui a pouco já acabou. É ou não é uma azáfama?

São Paulo, cheia de gente de fora, na transição do último zero para 1.


(*) Marli Gonçalves é jornalista. Brinca, não! Isso dá nome de Deusa, de perfume, de marca de tênis, de escuderia feminina, de... Acho que este ano vou investir em criar umas coisas. Topas?

Um 2011 lindo e azafamado do bem e do bom, para todos nós!


*********************************************************************************************
Estou onde você quiser me achar. No Twitter, Facebook, blog, feitos com muito esforço para ficarmos juntos mais tempo: Inscreva-se para receber os avisos de novos posts. Entre, participe, fique à vontade. Sinta-se em casa. Divirta-se.

Visite meu blog No Twitter, esperando seguir e ser seguida: " ***
E-mails:
marli@brickmann.com.br
marligo@uol.com.br
***
ATENÇÃO: Por favor, ao reproduzir esse texto, não deixe de citar os e-mails de contato, e os sites onde são publicados originalmente, www.brickmann.com.br e no http://marligo. wordpress.com/// Aqui você encontra todos os artigos anteriores: ***

ATENÇÃO:
Postar um comentário