domingo, 26 de dezembro de 2010

APRENDIZ DE COPPERFIELD

(No Estadão online, domingo, 26/12/2010)
Após assistir o discurso-despedida (ufanista) de Lula, ocorreu-me que estamos vivendo um palco de mágicos, sendo Lula um David Copperfield e Dilma com a incumbência de segui-lo, terá que se superar como aprendiz de mágico. Por que Lula lembra Copperfield? Como o grande mágico faz aparecer e desaparecer feras nos palcos, Lula também o faz. O ''leão'' Jefferson rugiu grosso e Lula, num passe de mágica, o fez se tornar gato mansinho; os ''tigres'' do mensalão apareceram ameaçando a Presidência e nosso Copperfield os descartou com as desculpas da normalidade do caixa 2, de que outros também faziam, eram ''aloprados'', etc.; para todos os escândalos ele, como bom mágico, estava sempre lançando culpa na imprensa, nas zelites desviando a atenção do público pagante, recebendo os aplausos pela prestidigitação; como excelente ilusionista, Lula faz aparecer obras do nada (pedra fundamental, projeto mal iniciado, pingo de solda...) e as inaugura, várias vezes sem que o público se dê conta da ilusão (com mais aplausos, naturalmente)... Nosso presidente é ou não um grande mágico? Diante de tantas ''mágicas'', e tanta habilidade ilusionista, tenho pena da Dilma que receberá no dia 1o. de janeiro a cartola e os coelhos de seu mestre. Será que ela vai conseguir envolver o ''público pagante'' nas mesmas ilusões e com o mesmo aplauso? Qual será o papel do ''Lula Copperfield'' ao assistir seus atos desde o camarim ou atrás do palco? Será que ele conseguirá manipular os espelhos e efeitos de ilusão para que ela também consiga aplausos? A verdade é que os ''mágicos'' vão mudar mas o palco, o cenário e a audiência continuarão os mesmos, com previsão para piorar, devido às crises internacionais. Vou comprar muita pipoca, mas não sentarei muito na frente com medo do perigo, pois as ''feras'' que o Copperfield dominou podem escapar com a nova titular do espetáculo!
Silvano Corrêa
Postar um comentário