terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

HORA DE DEFINIR HERANÇAS

(No Estadão online, terça-feira, 9/02/2010)
Seria muito bom se o artigo do sr. Fernando Henrique Cardoso, publicado no Estadão deste domingo, venha dar mais consistência e ânimo à fraca oposição na política atual. Um claro reflexo desta fraqueza ficou revelado na contestação do presidente eleito do PT, José Eduardo Dutra, quando afirmou que "quem escondeu os progressos do governo dele (FHC) foi o Alckmin. Ele ficou envergonhado de defender o governo FHC". Será importante que tanto Geraldo Alckmin como, especialmente, José Serra, aproveitem os pontos elucidados por FHC para nortearem suas campanhas e, assim, recuperar a imagem do PSDB. Aliás, FHC também deixou passar muito tempo, carregando a crítica de "herança maldita", para somente agora colocar devidamente, e com força, os pingos nos iis. Esse vazio tem feito muito mal à educação cívica e política do povo, enfraquecendo nossa incipiente democracia. Que o PSDB e toda a oposição acordem para essa oportunidade de esclarecer bem qual foi, e qual será, a "herança" real para um Brasil melhor, mais confiável e mais passível de respeito e orgulho pelos brasileiros de bem, felizmente a grande maioria. Se perderem essa chance e o petismo continuar mais quatro anos (ou provavelmente doze, com a volta do Lula), estaremos consolidando uma ditadura de esquerda que nos levará para uma situação como a de Cuba ou Venezuela. Que Deus nos livre desse carma!
Postar um comentário