domingo, 14 de fevereiro de 2010

EDUCAÇÃO E JUSTIÇA?

(No Estadão online, domingo, 14/02/2010)
Soube que o sr. José Roberto Arruda passou a primeira noite em cela especial com cama, geladeira e TV. Por que será? Porque ele tem diploma universitário? Porque é figura importante na política? Esses privilégios têm de acabar! Sou da opinião que quanto mais instruído e consciente é a pessoa, mais rigorosa deve ser sua pena. Cela especial parece ser resquício da cultura do "você sabe com quem está falando?", que deve ser abolida. Que sejam recolhidos a celas comuns os que deveriam saber melhor as consequências de seus atos. E para os incultos, os ignorantes não instruídos, suas penas devem ser relevadas um tanto, e suas celas devem ter enfoque educacional. (Que tal suas paredes com muito grafite revelando aspectos de crimes, sofrimentos e castigos correspondentes?) Será que no Brasil queremos enfatizar que o crime compensa, desde que seja grande e cometido por pessoa formada em nossas academias? Não acho certo. Para os universitários, cela comum e castigo dobrado. Para o resto, celas e ambientes que induzam uma reforma de mentalidade e maior consciência do mal cometido. Será que um dia chegamos nesse nível de Justiça Social (com maiúsculas mesmo)? Oxalá que sim!
Postar um comentário