sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Tudo igual!



Tudo igual! - OESP online, em 07/11/2009

Incrível como alguns leitores não se conformam em ler algumas opiniões contrárias às suas crenças, especialmente quando criticamos o governo atual. Será que esses leitores já se perguntaram por que fazemos críticas tão contundentes?
Quando o presidente foi eleito tive esperança de ver esse nosso belo e rico País, além de seu povo generoso, serem respeitados. Afinal de contas o partido que estava chegando à presidência, era o baluarte da ÉTICA e era o que mais admirava naquele partido. Até então sabíamos que no parlamento havia picaretas e outros eram nominados de grandes ladrões. Francamente, no dia da eleição, fiquei profundamente comovida por ver a alegria daquelas pessoas, na certeza de terem no governo uma pessoa do povo. Não demorou muito para percebermos - aqueles que não têm azia e preguiça de ler - que o engodo estava apenas começando: enquanto S. Exª. distribuia migalhas a alguns milhões de miseráveis - sem exigir contrapartida - condenados a se perpetuarem na dependência do "pai-patrão", seus asseclas começaram o maior e mais bem aperfeiçoado esquema de pagamentos de propinas aos aliados, a título de "governabilidade" e a confissão descarada de caixa 2, pois "sempre foi feito..." E o que dizer dos picaretas e grandes ladrões guindados à categoria de amigos com direito a beija-mão (Jader Barbalho) e abraços fraternos (Collor de Mello) ou chamados de pessoas incomuns (Sarney), portanto não podendo ser acusados pelas falcatruas? A decepção foi muito grande! Muito triste chegar à conclusão que não sobra pedra sobre pedra na política nacional. Todos se igualam na picaretagem!
Aparecida Dileide Gaziolla
Postar um comentário