sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Rei morto, rei posto.


(ilustração da nossa querida Silvane Sabóia)
Creio ser oportuno, mais que isso, IMPERIOSO, pedirmos desculpas ao senador Sarney por toda a dor de cabeça que nossa malévola distorção dos fatos lhe causou. Trata-se de cidadão íntegro, vítima da aleivosia de jornalistas desqualificados.UM RUBOR TARDIO CORA NOSSAS FACES ENVERGONHADAS.Tentamos arrastar na lama esse cidadão probo, pai avô e padrinho dedicado. Jamais poderei perdoar-me por ter aderido a esse complô que, felizmente, não conseguiu enxovalhar a figura desse eminente político, que ressurgirá engrandecido após essa tentativa indigna de enlameá-ló, perpetrada pela histeria da mídia mercenária.
Torçamos que um mea culpa coletivo nos permita desfrutar por longos anos de sua sábia maneira de fazer política.Com sua grandeza de alma, ele saberá decerto acolher nosso arrependimento. Seu discurso lapidar dirimiu todas as suspeitas injuriosas levantadas por indivíduos mesquinhos sedentos de escândalos.Felizmente , o gigante emergiu forte, radiante, resplandecente dessa infame tentativa de tisnar-lhe o impecável curriculo.
Na oportunidade, rendamos as devidas homenagens àqueles que sempre acreditaram na pureza de propósitos e de procedimentos desse cidadão deveras incomum.
Mais uma vez triunfa o mérito, o talento, a arte de fazer Política e sucumbe uma impatriótica tentativa de perpetrar uma abominável inversão de valores. Fomos cegos, mas a luz se fez e fez resplandecer seu manto majestático, afugentando seus desprezíveis intrigantes detratores. A Pátria poderá respirar aliviada.
Pela torpeza das suspeitas que alimentamos com nossas mensagens inconsequentes, e com a absoluta certeza de que o egrégio conselho de ética rejeitará em bloco as infames calúnias ainda pendentes, imploramos seu perdão, impoluto Senador Sarney!

Alexadru Solomon
Postar um comentário