quarta-feira, 22 de julho de 2009

NOVELA

Novela- publicada no jornal O Povo- CE em 22/07/09

Mais um capítulo da novela Senado. O trem da alegria de 1992 tornou-se uma prática vergonhosa que perdura até os dias de hoje. Quanta diferença do cidadão que trabalha na empresa privada e é enxotado de seu emprego, bastando uma crise rondar sua empresa. Ao contrario, no Senado, as pessoas grudam nas paredes do governo, feito parasitas e nunca mais desgrudam. Passados 17 anos, com alguns beneficiados aposentados, o que será feito para reparar o mal causado? O deputado Mauro Benevides (PMDB-CE), responsável pela assinatura dos atos, alega esquecimento, imitando alguém sempre obrigado a dar satisfações, porém, basta investigar para ver que o ato de nomeação traz o nome de quem assinou. Além disso, os 82 estagiários na época, certamente não se esqueceram do gesto do presidente do Senado quando foram beneficiados.
IZABEL AVALLONE
Postar um comentário