segunda-feira, 20 de julho de 2009

JUSTIÇA? QUE JUSTIÇA?

Parece que nossa justiça se esgota nos indiciamentos. Quase todos os dias aparecem notícias sobre figuras destacadas, principalmente políticos e ligadas ao governo, sendo indiciadas. A lista de suspeitas justificando o indiciamento sempre impressiona: corrupção, enriquecimento ilícito, lavagem de dinheiro, remessa ilegal de divisas, sonegação de impostos, falsidade documental e outras. Aonde chegam todos esses indiciamentos? Ninguém sabe, ninguém viu... O caso do sr. Paulo Maluf é emblemático: quantas vezes foi indiciado? Perdi a conta. Mas sei é que chegou até a sair reprodução de cartão de assinatura de banco suíço (não qualquer banco, mas banco suíço, é bom frisar!) com sua assinatura bem legível, baseado no qual o banco efetuava o movimento da conta. Mas, aqui, isso não é prova. Por alguma razão a justiça "amarelou" nos indiciamentos, e ficou valendo a alegação do próprio de que não possui conta no exterior. E por aí vai nossa cega e capenga senhora Justiça. Indiciamentos ad eternum... aplicação da Lei mesmo, naaada! É de estranhar que o Brasil navegue sempre em mar revolto, cheio de ilegalidades garantidas por uma impunidade que prevalece desde os mais altos escalões do governo? O que Getúlio disse parece que fez escola: "Lei? Ora a lei!". E estamos vendo, com profunda tristeza, que essa escola foi aperfeiçoada pelo deboche: estão mesmo é "se lixando" para os honestos que trabalham e aguentam pesados impostos para sustentar o bando cada vez maior de aproveitadores. Onde estarão nossos estadistas? Onde estarão aqueles que poderiam fazer frente a tudo isso, emulando os exemplos de saudosos líderes como Ruy Barbosa, Carlos Lacerda, Prestes Maia, Faria Lima e outros da mesma estirpe moral? Será que não fazem mais estadistas como antigamente? É uma pena!
Postar um comentário